0

Veja como foi a semana no mundo, de 7 a 13 de dezembro

14 dez 2013
08h00
  • separator
  • comentários

Adeus a Mandela
A África do Sul e o mundo seguiram com os rituais de despedida do ex-presidente e líder histórico Nelson Mandela. Na cerimônia que contou com a presença de chefes de Estado, Obama definiu Madiba como o último libertador do século XX. Dilma Rousseff também proferiu sua homenagem. O atual presidente, Jacob Zuma, discursou e foi vaiado pelos sul-africanos. Depois da cerimônia - marcada também por um aperto de mão histórico e uma fotografia polêmica -, o corpo de Mandela passou a ser velado na sede do governo de Pretória. 'Tata Madiba', como era chamado, será enterrado no dia 15, na sua terra natal de Qunu.

<p>Despedida a Mandela em estádio de Johannesburgo</p>
Despedida a Mandela em estádio de Johannesburgo
Foto: AFP
<p>Uruguaios participam da chamada "última manifestação com maconha ilegal" em frente ao Congresso, em Montevidéu, no Uruguai, antes da aprovação da lei</p>
Uruguaios participam da chamada "última manifestação com maconha ilegal" em frente ao Congresso, em Montevidéu, no Uruguai, antes da aprovação da lei
Foto: Andres Stapff / Reuters

Uruguai legaliza maconha
Conforme o esperado, o Senado uruguaio votou e aprovou o projeto de lei que legaliza a maconha no país. A partir de agora, segundo a polêmica e vanguardista medida, o Estado passa a controlar a plantação, o colheita e o comércio da droga, à qual terão acesso regulamentado todos os cidadãos uruguaios maiores de idade. A lei, que já está em vigor, foi criada com o obejtivo de conter o tráfico de drogas e reduzir os índices de violência liigados ao consumo de drogas, mas recebeu críticas da ONU.

<p>Movimentação de policiais e manifestantes na Praça da Independência, em Kiev</p>
Movimentação de policiais e manifestantes na Praça da Independência, em Kiev
Foto: Reuters

Tensão na Ucrânia
Mais uma semana de protestos oposicionista pró-Europa na Ucrânia. A recusa do governo em ceder às demandas dos manifestantes gerou ação da polícia para desmobilizar os alocados na Praça Independência, no centro de Kiev, mas a ofensiva fracassou. Durante os protestos, uma estátua do líder comunista Vladimir Ilitch Lênin foi derrubada e decapitada. Apesar da manutenção da mobilização, apareceu também quem se manifestasse a favor do contestado presidente Viktor Yanukovitch.

<p>Estragos em frente a loja saqueada em San Miguel de Tucumán</p>
Estragos em frente a loja saqueada em San Miguel de Tucumán
Foto: AP

Saques e mortes
Na Argentina, a onda de saques iniciada após greve de policiais em Córdoba irradiou para diversas províncias, gerando uma onda de violência que deixou, até o momento, nove mortos.

Execução por traição
A Coreia do Norte anunciou a execução de Jang Song-thaek, tio do atual líder norte-coreano Kim Jong-un. Jang, antes tido como número 2 do governo de Pyongyang, havia sido demitido por conta de seus supostos hábitos de vida deploráveis. Ao anunciar sua execução, a agência de notícias norte-coreana disse que o outrora mentor de Kim era "pior que um cão". A notícia gerou preocupação na Coreia do Sul.

Exército francês patrulha as ruas de Bangui, capital da República Centro-Africana
Exército francês patrulha as ruas de Bangui, capital da República Centro-Africana
Foto: AFP

Intervenção na RCA
Chega a 600 o número de mortos pela violência sectária na República Centro-Africana. Já são 159 mil deslocados pelo conflito que varre o país. Tropas francesas, antiga potência colonizadora, estão atuando no entorno da capital Bangui para tentar garantir a segurança da população civil e conter os ataques, travados entre cristãos e muçulmanos que lutam entre si.

Eleições pós-Chávez
Os venezuelanos foram às urnas em eleições municipais que espelharam as últimas eleições presidenciais, vencidas por Nicolás Maduro, herdeiro de Hugo Chávez. Os governistas do PSUV sagraram-se vencedores, mas a oposição também logrou importantes vitórias, mantendo o quadro de divisão do poder neste início da era pós-Chávez.

Crianças tentam carregar gás de cozinha em acampamento de refugiados montado na cidade de Zahle
Crianças tentam carregar gás de cozinha em acampamento de refugiados montado na cidade de Zahle
Foto: Reuters

Inverno sírio
As nevascas começam a atingir a Síria, país que vive uma guerra civil desde março de 2011. Milhares de desalojados estão em campos de refugiados, e a chegada do pior do inverno gera o temor de uma temporada letal no país já arrasado por mais de 100 mil mortes. Pelo menos duas crianças já morreram de frio.

Opaq critica Israel
A Organização para a Proibição das Armas Químicas, vencedora do Nobel da Paz deste ano, recebeu o prêmio em uma cerimônia em Oslo, na Noruega. "A Opaq verificou a destruição de 80% de todas as armas químicas declaradas e há 190 Estados que se somaram à proibição. Estamos avançando para que a visão de um mundo sem armas químicas se torne realidade", disse o diretor Ahmet Uzumku. A organização também pediu a adesão de mais países à convenção da Opaq, entre os quais Israel.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade