0

RS: qualquer criança veria perigo naquela boate, diz delegado

29 jan 2013
17h56
atualizado às 19h15
  • separator
  • 0
  • comentários

O delegado Marcelo Arigony, que coordena as investigações sobre o incêndio em Santa Maria que matou mais de 230 pessoas, disse nesta terça-feira que pelas investigações que foram feitas até agora foram encontradas diversas irregularidades na Boate Kiss que mostram “que qualquer criança veria que aquela casa não poderia funcionar daquela maneira”. Segundo ele, o estabelecimento tinha ao menos dois alvarás vencidos, problemas de iluminação e no layout.

[VC] Está em Santa Maria? Envie fotos, vídeos e relatos da tragédia
Galeria de fotos: Veja quem são as vítimas do incêndio em boate de Santa Maria
Infográfico: Veja como a inalação de fumaça pode levar à morte
Veja relatos de sobreviventes e familiares após incêndio no RS

De acordo com o delegado, a espuma era de um isolamento acústico inflamável que poderia emitir gases tóxicos, mas isso vai ser confirmado pela perícia. "Existem evidências que os extintores podem ser falsificados porque, pelo tipo de extintor, o preço pago foi muito barato, além de não terem funcionado", informou. A polícia disse que vai convocar até funcionários públicos para depor para tentar apurar as falhas na investigação na concessão dos alvarás que permitiam a casa funcionar. “Vamos cortar na carne”, avisou Arigony.

O promotor José de Oliveira Dutra, que também participou da coletiva como integrante do Ministério Público, reforçou que as investigações devem se voltar também para a possibilidade de responsabilização de funcionários públicos. "A polícia vai apontar tudo, na esfera criminal e na esfera cível, e vai evidenciar qualquer falha na fiscalização", disse.

Ainda de acordo com Dutra, existe o aspecto "político" do inquérito que será enviado para o Ministério Público. "Mas o Arigony (delegado) vai ter cuidado de mandar para os órgãos responsáveis para a análise de conduta e de eventual improbidade administrativa, ou o que quer que seja", disse ele, se referindo à responsabilização de eventuais agentes públicos envolvidos na tragédia.

A coletiva foi interrompida por jovens manifestantes que gritaram em frente à delegacia regional: "prefeitura omissa, queremos a Justiça". O grupo defendeu a construção de um memorial em homenagens às vítimas e pediram responsabilização dos culpados. O delegado Arigony desceu da delegacia, assistiu à manifestação e aplaudiu.

INCÊNDIO EM SANTA MARIA

Entenda detalhes de como aconteceu a tragédia em Santa Maria, na região central do RS, que chocou o País e o mundo e como era a Boate Kiss por dentro

Incêndio na Boate Kiss
Um incêndio de grandes proporções deixou mais de 230 mortos na madrugada deste domingo em Santa Maria (RS). O incidente, que começou por volta das 2h30, ocorreu na Boate Kiss, na rua dos Andradas, no centro da cidade. O Corpo de Bombeiros acredita que o fogo iniciou com um sinalizador lançado por um integrante da banda que fazia show na festa universitária.

Segundo um segurança que trabalhava no local, muitas pessoas foram pisoteadas. "Na hora que o fogo começou foi um desespero para tentar sair pela única porta de entrada e saída da boate e muita gente foi pisoteada. Todos quiseram sair ao mesmo tempo e muita gente morreu tentando sair", contou. O local foi interditado e os corpos foram levados ao Centro Desportivo Municipal, onde centenas de pessoas se reuniam em busca de informações.

A prefeitura da cidade decretou luto oficial de 30 dias e anunciou a contratação imediata de psicólogos e psiquiatras para acompanhar as famílias das vítimas. A presidente Dilma Rousseff interrompeu viagem oficial que fazia ao Chile e foi até a cidade, onde se reuniu com o governador Tarso Genro e parentes dos mortos.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade