Tragédia em Santa Maria

publicidade
27 de fevereiro de 2013 • 16h27 • atualizado às 16h44

Músicos gaúchos lançam clipe em homenagem a vítimas da Boate Kiss

Música 'Um novo domingo de sol' foi divulgada para marcar um mês da tragédia que matou 239 pessoas em Santa Maria

Artistas gaúchos cantam 'Um Novo Domingo de Sol'Clique no link para iniciar o vídeo
Artistas gaúchos cantam "Um Novo Domingo de Sol"

Um mês depois do incêndio que provocou a morte de 239 pessoas em Santa Maria (RS), um grupo de músicos gaúchos divulgou um vídeo no YouTube em homenagem às vítimas da tragédia na Boate Kiss. Composta por Rodrigo Ganso, ex-integrante da banda Na Moral, a música Um novo domingo de sol já recebeu mais de 800 curtidas no Facebook. A grande quantidade de acessos derrubou por duas vezes o site criado para promover o clipe.

Veja a lista com os nomes das 239 vítimas do incêndio da Boate Kiss
Veja como a inalação de fumaça pode levar à morte
Veja relatos de sobreviventes e familiares após incêndio no RS

"O retorno é muito grande, é um absurdo, não para. O número de visualizações no YouTube trancou em 303, mas certamente é muito mais do que isso, já que só em compartilhamentos já passou de 800. Acredito que tenha sido visto umas 10, 15 mil vezes", estima Guilherme Alf, ex-colega de banda de Ganso e um dos produtores executivos do vídeo.

Segundo Alf, o vídeo é um projeto concebido ainda no dia da tragédia, mas, conforme a ideia foi amadurecendo, pensou-se na possibilidade de lançá-lo para marcar o primeiro mês do incêndio. "No domingo de manhã mesmo, o Rodrigo teve a ideia de fazer a música. E daí começou a conversar com algumas pessoas, chamou o Alan (Dias Castro), e daí eles compuseram a letra e ele já fez a música. E foram convidando algumas pessoas para cantar. Nisso, o MC Jean Paul ligou pra ele dizendo que teve uma ideia de fazer uma música. E ele falou 'bah, meu, já estou fazendo'. Aí o Jean também ajudou bastante. Eu diria que eles são os pilares musicais da história", relembrou Alf, que não estava no País no momento da tragédia e se uniu ao projeto posteriormente.

"Só que eles são músicos, né. Foram perdendo o timming da história, começaram a se enrolar muito para fazer. Aí eu cheguei aqui uns dias depois e eu comecei a organizar tudo. Então a gente teve essa ideia de lançar 30 dias depois. Porque a gente pensou: nos primeiros dias só se falava nisso. Só que depois, com o tempo, a galera vai se esquecendo. A nossa vida voltou ao normal. E a vida das famílias e de todo mundo que perdeu alguém com isso não vai voltar ao normal assim, vai demorar muito mais", afirmou.

Segundo o produtor, o objetivo é fazer uma série de manifestações artísticas a cada dia 27, para relembrar a tragédia. "A nossa ideia é sempre no dia 27 de cada mês sempre ter algum tipo de ação cultural, porque é a nossa área, com uma homenagem. A primeira ação é a música, e a gente pretende fazer outras coisas", projeta Alf.

De acordo com Alf, apesar de nenhum dos músicos ter familiares ou amigos próximos entre as vítimas do incêndio, a tragédia de Santa Maria marcou a vida de todos. "Eu e o Rodrigo, por exemplo, a gente tocava no Na Moral. E Santa Maria, por ter uma grande quantidade de universitários, era uma cidade em que a gente tocava muito. Se não foi a cidade à qual a gente mais foi, está entre as três principais. E num momento desses, a gente sente o baque: 'podia ser com a gente'", relata.

Esta, porém, não é a primeira manifestação artística em homenagem às vítimas do incêndio. No dia 12 de fevereiro, outro grupo de músicos, capitaneados pelo vocalista da banda Sevenaid, Will Pedra, lançou o clipe da canção Cinzas ao amanhecer. Até as 16h desta quarta-feira, o vídeo já havia sido visto quase 83 mil vezes, contabilizando 1,4 mil curtidas no Facebook.

Música 'Cinzas ao amanhecer' homenageia mortos na Boate KissClique no link para iniciar o vídeo
Música 'Cinzas ao amanhecer' homenageia mortos na Boate Kiss

Incêndio na Boate Kiss
Na madrugada do dia 27 de janeiro, um incêndio deixou mais de 230 mortos em Santa Maria (RS). O fogo na Boate Kiss começou por volta das 2h30, quando um integrante da banda que fazia show na festa universitária lançou um artefato pirotécnico, que atingiu a espuma altamente inflamável do teto da boate.

Com apenas uma porta de entrada e saída disponível, os jovens tiveram dificuldade para deixar o local. Muitos foram pisoteados. A maioria dos mortos foi asfixiada pela fumaça tóxica, contendo cianeto, liberada pela queima da espuma.

Os mortos foram velados no Centro Desportivo Municipal, e a prefeitura da cidade decretou luto oficial de 30 dias. A presidente Dilma Rousseff interrompeu uma viagem oficial que fazia ao Chile e foi até a cidade, onde prestou solidariedade aos parentes dos mortos.

Os feridos graves foram divididos em hospitais de Santa Maria e da região metropolitana de Porto Alegre, para onde foram levados com apoio de helicópteros da FAB (Força Aérea Brasileira). O Ministério da Saúde, com apoio dos governos estadual e municipais, criou uma grande operação de atendimento às vítimas.

Quatro pessoas foram presas temporariamente - dois sócios da boate, Elissandro Callegaro Spohr, conhecido como Kiko, e Mauro Hoffmann, e dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira, Luciano Augusto Bonilha Leão e Marcelo de Jesus dos Santos. Enquanto a Polícia Civil investiga documentos e alvarás, a prefeitura e o Corpo de Bombeiros divergem sobre a responsabilidade de fiscalização da casa noturna.

A tragédia fez com que várias cidades do País realizassem varreduras em boates contra falhas de segurança, e vários estabelecimentos foram fechados. Mais de 20 municípios do Rio Grande do Sul cancelaram a programação de Carnaval devido ao incêndio.

No dia 25 de fevereiro, foi criada a Associação dos Pais e Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia da Boate Kiss em Santa Maria. A intenção é oferecer amparo psicológico a todas as famílias, lutar por ações de fiscalização e mudança de leis, acompanhar o inquérito policial e não deixar a tragédia cair no esquecimento.