Cidades

publicidade
21 de março de 2014 • 08h01 • atualizado às 10h03

Aposta de Alckmin para salvar Cantareira também tem nível crítico

Reservatório no Rio Jaguari tem capacidade mais baixa em 70 anos; represa abastece população do RJ, e governador Sérgio Cabral atacou a proposta

 

A principal aposta do governador Geraldo Alckmin (PSDB) para salvar o sistema Cantareira, em São Paulo, também apresenta níveis críticos. A Represa Jaguari, em Igaratá, no Vale do Paraíba, está com 38% de sua capacidade: o índice mais baixo em 70 anos, segundo informações do jornal O Estado de S. Paulo. Depois de propor a transposição de águas do reservatório, que também abastece a população do Rio de Janeiro, Alckmin recebeu críticas. O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), disse que "não permitirá que se retire água", enquanto Alckmin afirmou que a medida não vai afetar o Rio.

Em meio à ameaça de racionamento no Estado de São Paulo, Alckmin afirmou que a medida é uma decisão técnica correta e explicou que o projeto, avaliado em R$ 500 milhões, prevê um duto de mão dupla, que pode retirar água do reservatório de Igaratá para mandar para o Cantareira e vice-versa. Ele fez questão de enfatizar que o reservatório está em um rio estadual. Nesta semana, o tucano pediu à presidente Dilma Rousseff (PT) aval federal para captar parte da água que abastece o Rio de Janeiro.

 

<a data-cke-saved-href="http://noticias.terra.com.br/infograficos/racionamento-de-agua/" href="http://noticias.terra.com.br/infograficos/racionamento-de-agua/">Racionamento de água - dicas de como economizar água</a>
Terra Terra