PUBLICIDADE

EUA: vídeo de militares matando jornalistas no Iraque é 'trágico'

6 abr 2010 23h25
| atualizado em 7/4/2010 às 00h50
Publicidade

A Casa Branca qualificou nesta terça-feira de "trágico" o vídeo divulgado na Internet que mostra um helicóptero do Exército americano metralhando jornalistas e civis em Bagdá, há três anos. "Não sei se o presidente (Barack Obama) viu o vídeo divulgado na Internet. Obviamente é (...) algo extremamente trágico", disse o porta-voz Robert Gibbs, antes de garantir que as forças dos Estados Unidos se esforçam para evitar a morte de civis.

O site Wikileaks.org, especializado na difusão de conteúdos sensíveis, divulgou na segunda-feira o vídeo gravado por um helicóptero americano que dispara e mata supostos homens armados no Iraque, que na verdade eram civis inocentes, incluindo dois funcionários da agência de notícias Reuters. As imagens, gravadas por um helicóptero de ataque Apache, são acompanhadas pelo audio de comunicação entre o piloto e o controle em terra, no qual o piloto revela que identificou homens armados, supostamente rebeldes, caminhando por uma rua de Bagdá, e pede autorização para abrir fogo.

O vídeo mostra um grupo de homens andando pela rua, incluindo os funcionários da Reuters Namir Noor-Eldeen e Saeed Chmagh. O piloto do Apache, que confunde a câmera de um dos jornalistas com um lança-granadas RPG, comunica ao controle em terra que avistou "cinco ou seis homens com (fuzis) AK-47" e pede permissão para abrir fogo, sendo atendido logo em seguida.

O helicóptero dispara rajadas de metralhadora e quando a poeira baixa os pilotos comentam que há "um monte de corpos" caídos no chão. "Olha todos estes bastardos mortos (...) Que lindo".

Logo depois da primeira sequência de disparos, homens em uma van tentam socorrer os feridos, mas o veículo é atacado pelo helicóptero, e duas crianças são feridas no carro.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
Publicidade