2 eventos ao vivo

Sul-coreanos querem arma nuclear contra a Coreia do Norte

23 set 2016
05h01
atualizado às 07h28
  • separator
  • comentários

Seis de cada dez sul-coreanos estão a favor que seu país possua armas nucleares, revelou nesta sexta-feira uma pesquisa, em um momento onde esta postura está ganhando força após último teste nuclear da Coreia do Norte.

Concretamente, 58% dos cidadãos se mostraram favoráveis que a Coreia do Sul se transforme em um estado com armas nucleares para garantir uma defesa equilibrada contra o regime de Kim Jong-un, enquanto 34% expressou sua oposição a esta possibilidade, de acordo com pesquisa do Gallup Korea.

Imagem sem data definida de um teste de míssil divulgada pela Coreia do Norte
Imagem sem data definida de um teste de míssil divulgada pela Coreia do Norte
Foto: EFE

Chama atenção na pesquisa, realizada com mais de mil pessoas em todo o país, o apoio de cidadãos com mais de 60 anos as armas nucleares, correspondendo 75% dos entrevistados, enquanto os jovens de 20 a 30 anos se mostram menos favoráveis, 39%.

Em todo caso, os números refletem um maior apoio para a opção da nuclearização que no mês de janeiro, quando era 54%.

A Coreia do Norte realizou no último dia 9, seu quinto e mais potente teste nuclear onde afirmou ter detonado uma ogiva nuclear adequado para acoplar seus diversos e variados mísseis, o que tem aumentado temores sobre o imprevisível regime norte-coreano.

Assim, vários deputados do partido governante Saenuri - o último esta semana - demandaram na Assembleia Nacional (parlamento) que o governo considere a opção de desenvolver seu próprio armamento atômico, uma postura que também vai ganhando força nos círculos políticos, embora seja minoritária.

Atualmente a Coreia do Sul mantém um acordo militar com Estados Unidos, que se compromete a defender a seu aliado em caso de ataque e para isso usaria armas nucleares se Coreia do Norte atacar primeiro.

A Casa Branca, ciente do debate social e político em Seul, reafirmou ontem através de um porta-voz este compromisso de defesa e afirmou que a posse de armas nucleares não traria qualquer benefício para a Coreia do Sul, além de violar o Tratado de Não-Proliferação.

Por outra parte, o candidato republicano à presidência dos EUA, Donald Trump, propôs durante a campanha a possibilidade de permitir que Coreia do Sul e Japão desenvolvam suas próprias armas atômicas para aliviar a pesada carga econômica que representa aos americanos garantir a defesa dos dois países contra a Coreia do Norte.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade