7 eventos ao vivo

Pequim usa tecnologia contra desperdício de papel higiênico

20 mar 2017
08h37
atualizado às 09h12
  • separator
  • comentários

Um sistema de reconhecimento facial foi instalado nos banheiros públicos do Templo do Céu em Pequim para evitar o desperdício de papel higiênico, que era usado em grandes quantidades por alguns turistas, informou nesta segunda-feira o jornal "Beijing Evening News".

Na instalação do parque, um dos mais famosos de Pequim, uma máquina escaneia o rosto do usuário, dá um pedaço de papel higiênico de 60 centímetros de extensão e só permite voltar a solicitar mais depois de nove minutos.

Autoridades acusam turistas de pegarem papel higiênico em excesso nos banheiros públicos de Pequim
Autoridades acusam turistas de pegarem papel higiênico em excesso nos banheiros públicos de Pequim
Foto: Reprodução/fawan.com

"Achamos que é a única maneira de evitar o desperdício de papel higiênico", explicou à imprensa local o designer do polêmico aparelho. "Se alguém estiver realmente indisposto, pode solicitar ajuda do nosso pessoal", acrescentou.

O Escritório Municipal de Parques de Pequim lançou uma campanha na rede social Weibo (o Twitter chinês) no começo de março para conscientizar as pessoas, especialmente os turistas chineses, sobre o uso responsável destas instalações públicas, já que alguns usuários levavam o papel.

Autoridades acusam turistas de pegarem papel higiênico em excesso nos banheiros públicos de Pequim
Autoridades acusam turistas de pegarem papel higiênico em excesso nos banheiros públicos de Pequim
Foto: Reprodução/fawan.com

As primeiras máquinas foram instaladas no ano passado em vários banheiros públicos do Parque Olímpico da capital chinesa, uma zona que já conta com um total de até 20 dispositivos e que, segundo trabalhadores do recinto, gerou uma economia de 2,1 mil iuanes mensais (cerca de US$ 300) por banheiro.

Por sua vez, um dos administradores do parque relatou como, antes de instalar este sistema, em um banheiro gastavam-se uma média de 14 rolos por dia, "e agora só gastamos 4".

Veja também:

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade