PUBLICIDADE

Chineses ignoram protestos em festival de carne de cachorros

Ativistas compraram o maior número de cachorros possível para impedir que os animais fossem adquiridos para consumo durante festival

23 jun 2014 14h51
| atualizado às 16h50
ver comentários
Publicidade
<p>Ativistas compram cães na tentativa de impedir que eles sejam adquiridos por pessoas que planejam abatê-los para o consumo durante o festival de Yulin, em 20 de junho </p>
Ativistas compram cães na tentativa de impedir que eles sejam adquiridos por pessoas que planejam abatê-los para o consumo durante o festival de Yulin, em 20 de junho
Foto: Reuters

Ativistas compraram o maior número de cães que puderam antes que eles fossem consumidos em um controverso festival na China. A informação é do jornal Metro.

O evento, que já é realizado há séculos, acontece todos os anos na cidade de Yulin, durante o solstício de verão.

Cães vivos são enjaulados e comprados para o abate e consumo. 

Há semanas, manifestantes tentam interromper o festival. Estima-se que 2 mil cachorros tenham sido consumidos somente no último sábado, 21.

<p>Cães mortos são expostos em uma barraca semanas antes do festival de carne de cachorro em Yulin, em 19 maio</p><p> </p>
Cães mortos são expostos em uma barraca semanas antes do festival de carne de cachorro em Yulin, em 19 maio
Foto: Reuters

De acordo com a revista Time, dizem as lendas chinesas que o consumo da carne de cachorro afasta os invernos rigorosos, além de proporcionar boa sorte e saúde. No entanto, ativistas acreditam que mais de 10 mil cães morrem para a realização do evento.

 

Festival gastronômico da carne de cachorro causa polêmica:

Foto: Arte Terra

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade