PUBLICIDADE

Japão pesquisa efeitos da radiação na fauna e flora de Fukushima

29 jan 2012
08h33 atualizado às 08h50
08h33 atualizado às 08h50
Publicidade

O Japão começou uma investigação exaustiva para estabelecer os efeitos da radiação procedente da usina nuclear de Fukushima em animais e plantas das regiões mais afetadas pelo acidente atômico, informou neste domingo a emissora NHK. A própria província de Fukushima solicitou ao Governo central que realizasse o estudo e o Executivo decidiu que o Ministério do Meio Ambiente e o Instituto Nacional de Ciências Radiológicas pesquisarão o caso durante um ano aproximadamente e o apresentarão em março de 2013.

A crise atômica no Japão começou em 11 de março deste ano
A crise atômica no Japão começou em 11 de março deste ano
Foto: AP

A análise registrará os níveis de césio radioativo na fauna e na flora em 25 pontos concretos da província de Fukushima, tanto em terra firme como no mar. Entre esses 25 lugares se encontram as áreas mais afetadas pelas emissões da usina nuclear e também áreas prejudicadas em menor escala com o objetivo de comparar os possíveis efeitos.

As duas instituições já começaram a colher mostras vegetais, que vão desde um pinheiro japonês vermelho a gramas silvestres, e animais, como ratos, rãs ou mexilhões. A seleção das espécies que serão investigadas se baseou nas recomendações da Comissão Internacional de Proteção Radiológica. Os pesquisadores estudarão os efeitos que a radiação pode ter sobre a fisionomia, a atividade genética e as funções reprodutivas, incluindo a taxa de germinação das sementes.

O terremoto e o tsunami de 11 de março do ano passado devastaram o nordeste do país e causaram a pior crise nuclear dos últimos 25 anos na usina de Fukushima Daiichi, que obrigou a remover cerca de 80 mil habitantes e afetou gravemente a agricultura, a pecuária e a pesca locais.

EFE   
Publicidade