Desvendando ‘monstros’: livro infantil explica sentimentos

'Tenho Monstros na Barriga' ajuda crianças a diferenciarem sentimentos

16 set 2015
09h56
  • separator
  • comentários

Você consegue lembrar como foi a primeira vez que conseguiu distinguir que estava com raiva ou feliz? Alguém te explicou o que eram esses sentimentos tão “estranhos”? Pois a educadora Tonia Casarin pretende tornar essas descobertas mais fáceis, tanto para crianças quanto para seus pais, com o livro Tenho Monstros na Barriga.

Financiamento coletivo já conseguiu arrecadar mais de R$ 14 mil
Financiamento coletivo já conseguiu arrecadar mais de R$ 14 mil
Foto: Facebook / Divulgação

Siga Terra Educação no Twitter 

Siga Terra Notícias no Twitter

A primeira tiragem da obra se prepara para ser lançada via financiamento coletivo. A autora já conseguiu, até agora, mais de R$ 14 mil com a ajuda de 98 apoiadores. Mas a meta é chegar aos R$ 30 mil para que o projeto saia da internet e ganhe as estantes.

Casarin contou ao Terra que quando era criança brincava que “sentia uns monstrinhos dentro de mim”, por isso os escolheu para ilustrar o livro. “Monstros são abstratos, não existem. Por exemplo, nos Estados Unidos é comum que os sentimentos sejam relacionados com cores, mas não queria relacionar as emoções com coisas reais”.

O livro pretende ajudar crianças a identificarem os próprios sentimentos e aprenderem a ter autocontrole. Ele conta a história de um menino que sente várias coisas na barriga, os “monstros”, e descobre que, na verdade, são sentimentos. Ao longo da história, o personagem fala sobre seus sentimentos e na página seguinte pais e educadores encontram uma seção interativa, em que a criança, junto com o adulto, diz quando ela também se sentiu da mesma forma que o protagonista.

Livro pretende ajudar crianças a identificarem os próprios sentimentos
Livro pretende ajudar crianças a identificarem os próprios sentimentos
Foto: Catarse / Divulgação

“O primeiro passo para o desenvolvimento das habilidades sociais e emocionais é a identificação dos sentimentos. Portanto, esse livro busca aumentar essa consciência dos sentimentos, com base em uma história de uma criança e seus monstrinhos”, explica a autora na página no Catarse.

“As vantagens de se conscientizar as crianças é que isso as ajudará a criar um autocontrole. A criança aprenderá a ser mais disciplinada. Por exemplo, se um colega pegar a borracha sem pedir, a raiva que sentirá poderá ser controlada. Ela saberá o que está sentindo e não irá apenas reagir, mas decidir como fará isso”, conta Tonia.

Ela acrescenta que o livro pode ser um aliado contra o bullying, já que ensina a criança a sentir empatia. “Ela aprende que se sentir triste não é algo bom, então por que deixar o colega assim?”

Casarin finalizou em maio o mestrado em Educação, na Universidade de Columbia, em Nova York, e o financiamento coletivo para lançar a primeira tiragem de Tenho Monstros na Barriga fica aberto até 2 de novembro.

 

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade