Estagiária é afastada após exigir saudação nazista de alunos

Caso foi registrado ainda no mês​ de março em Porto Alegre

13 abr 2017
09h07
  • separator
  • comentários

Uma das mais tradicionais escolas públicas de Porto Alegre registrou caso de apologia ao nazismo dentro de sala de aula no começo deste ano letivo. Uma professora estagiária praticou a ação, exigindo que os alunos a recebessem com o braço direito erguido, ao estilo usado pelos simpatizantes de Adolf Hitler durante o período nazista na Alemanha. Uma estudante também chegou a ser agredida durante os poucos minutos em que a futura docente permaneceu no recinto.

O caso veio a público após denúncia junto ao site Sul21, que revelou o caso. Conforme ocorrência policial, a ação teria começado logo após a estagiária ficar sozinha com os alunos de uma turma do 3° ano do Ensino Médio. A direção relata que tudo ocorreu rapidamente, em cerca de dez minutos: após bater em uma das adolescentes do grupo, os colegas perceberam que não se tratava de uma brincadeira e acionaram a direção.

Aos supervisores da escola, a aspirante a professora mencionou que não pretendia doutrinar os alunos, mas que não sabia agir de forma diferente. Relatou ainda que foi criada em um ambiente em que o regime extremista era exaltado, inclusive dentro de casa, pelo próprio pai. Ela foi afastada imediatamente do estágio, e a universidade da qual era oriunda acabou acionada.

A acadêmica, que passaria a ministrar aulas supervisionadas de Filosofia, era estudante da PUC de Porto Alegre e já teria concluído o bacharelado no mesmo curso anteriormente. Ela estaria afastada da universidade após o caso. A polícia civil segue investigando o ocorrido, tendo em vista que apologia ao nazismo é crime, podendo levar o praticante à prisão por período que vai de dois a cinco anos de reclusão.

Veja também

Especial para Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade