Descubra quais os tipos de bolsa que o ProUni oferece

Conheça as modalidades de bolsa do ProUni e qual delas se encaixa melhor no seu perfil!

6 mar 2017
15h09
atualizado às 15h54
  • separator
  • comentários

O maior programa de bolsas de estudo do País, o ProUni, já beneficiou mais de 1,5 milhão de pessoas em todo o Brasil.

Há cursos em todas as áreas do conhecimento e o critério de seleção é a nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
Há cursos em todas as áreas do conhecimento e o critério de seleção é a nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
Foto: Guia da carreira

É uma oportunidade única que os estudantes de baixa renda têm de fazer um curso de graduação de qualidade sem pagar nada ou arcando apenas com metade da mensalidade.

Há cursos em todas as áreas do conhecimento e o critério de seleção é a nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Embora distribua mais de 250 mil bolsas todos os anos, o ProUni está cada vez mais concorrido - e descolar o benefício tem sido um desafio cada vez maior.

Se você está interessado em estudar em faculdade privada, fique de olho nos tipos de bolsa que o ProUni oferece e o que é preciso fazer para garantir a sua!

Antes de tudo, veja se você pode concorrer ao ProUni

O ProUni é destinado a estudantes de baixa renda. É, portanto, um programa que exige uma série de pré-requisitos dos candidatos interessados.

Para concorrer a uma bolsa é preciso:

-Ter feito o Enem mais recente, com desempenho de pelo menos 450 pontos na média das provas, sem ter zerado na redação.

-Apresentar renda familiar bruta mensal de até 3 salários mínimos por pessoa.

-Ter feito todo o ensino médio em escola pública ou em particular na condição de bolsista integral.

-Não possuir diploma de nível superior.

Fora isso, o ProUni também oferece bolsas a professores da rede pública de ensino e a pessoas com deficiência.

Tipos de bolsa que o ProUni oferece

O ProUni tem dois tipos de bolsa: integral e parcial. Elas são concedidas conforme a renda apresentada pelo candidato.

Veja as características de cada uma:

Bolsa integral do ProUni

A bolsa integral, como o próprio nome já sugere, paga toda a mensalidade do curso. É válida até o último dia da graduação e o estudante não precisa devolver nem um centavo ao Governo.

É destinada a alunos que apresentam renda familiar bruta mensal de no máximo 1,5 salário mínimo por pessoa e correspondem a todos os demais critérios exigidos pelo MEC.

Hoje as bolsas integrais representam cerca de 70% dos benefícios concedidos pelo ProUni em todo o Brasil.

Bolsa parcial do ProUni

A bolsa parcial do ProUni cobre metade (50%) do valor das mensalidades. O restante deve ser pago pelo aluno.

É distribuída a quem tem renda familiar bruta mensal acima de 1,5 salário mínimo por pessoa, com teto máximo de 3 salários mínimos por pessoa.

Os bolsistas parciais representam uma parcela bem menor dos benefícios concedidos pelo ProUni - cerca de 30%.

Bolsa parcial do ProUni + Financiamento do FIES

Os alunos que recebem bolsa parcial do ProUni podem complementar o pagamento da outra metade da mensalidade por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES).

Com isso dá para financiar o restante do curso a juros baixos e prazo longo. A dívida só começa a ser quitada depois da formatura.

Para conseguir o FIES, no entanto, o aluno precisa estar disposto a enfrentar outro processo seletivo, também bastante concorrido.

No FIES, assim como no ProUni, a classificação é feita a partir da nota do Enem. Só que aqui há uma diferença: dá para usar a pontuação de qualquer edição do Exame a partir de 2010. O critério de renda familiar bruta mensal é o mesmo: máximo de três salários mínimos por pessoa.

Datas de realização do ProUni

O ProUni acontece duas vezes por ano. No mês de janeiro (às vezes, dependendo do calendário, pode ser também em fevereiro) acontece a primeira edição. Nela são distribuídas mais de 200 mil bolsas. Normalmente o processo seletivo abre assim que são divulgados os resultados do Sistema de Seleção Unificada, que escolhe estudantes para universidades públicas.

A segunda edição do ProUni acontece entre os meses de junho e julho - as datas aqui também estão sujeitas a uma certa variação. No meio do ano são distribuídas bem menos bolsas, mas ainda assim é uma nova chance para quem não conseguiu entrar no início do ano ou resolveu adiar um pouco a entrada na faculdade.

Em ambos as exigências de participação são as mesmas. A concorrência também é alta.

Cursos que podem ser feitos com bolsa do ProUni

No ProUni tem bolsa para graduações em todas as áreas do conhecimento. Muita gente tem uma curiosidade especial em relação ao curso de Medicina, que normalmente custa uma fortuna em faculdades particulares. Para surpresa de todos, ele pode, sim, ser encontrado no Programa, com várias vagas disponíveis todos os semestres.

Mas quem está interessado em seguir esta área é bom vir preparado, pois as notas de corte podem superar os 800 pontos. Afinal, quem não gostaria de estudar Medicina de graça ou pagando apenas uma parte da mensalidade numa instituição de qualidade?

No ProUni também tem Direito, Engenharia, Odontologia, Comunicação Social, Psicologia, Serviço Social, Economia, Ciências Contábeis, cursos de licenciatura (formação de professores), cursos tecnológicos (com tempo de formação mais curto) e muito, muito mais.

O programa oferece bolsas até em cursos a distância - o que nem todo mundo sabe!

A oferta muda a cada semestre e a lista exata com todas as vagas disponíveis só é conhecida pouco antes da abertura do processo seletivo.

Faculdades onde estudar com o ProUni

O ProUni só concede bolsa em faculdades bem avaliadas pelo Ministério da Educação. Por isso o aluno beneficiado pode ter a certeza de que irá cursar uma instituição de qualidade e que seu diploma terá validade no mercado de trabalho.

Conheça a seguir algumas instituições com boa avaliação junto ao MEC que costumam participar do ProUni:

-Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA)
-Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL)
-Universidade de Franca (UNIFRAN)
-Universidade Cidade de São Paulo (UNICID)

-União Metropolitana de Educação e Cultura (UNIME)
-Faculdade Pitágoras

-Universidade Estácio de Sá

Veja também:

Vovós aprendem a ler e escrever em vilarejo na Índia

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade