0

Yzalú lança CD no Sesc com música inédita de Sabotage

3 ago 2016
18h02
  • separator
  • 0
  • comentários

A rapper que está no cenário da música independente desde 2000, apresenta ao público do Sesc, seu primeiro álbum: "Minha Bossa é Treta". O trabalho traz fortes influências de nomes ilustres da MPB como Gal Costa e Marisa Monte, e no cenário do rap, Sabotage, falecido em 2003, é considerado um ícone no cenário do hip-hop e inspirou toda a geração da escola atual.

A influência de conceitos e formatos musicais diferentes, aliada ao contexto social que a cantora viveu na periferia de São Paulo, não poderia resultar em algo que fosse diferente de um universo musical rico, norteado por letras engajadas na cultura social do hip-hop.

O álbum conta com a participação do rapper Pazsado, e uma composição inédita do próprio Sabotage, interpretada por Yzalú com um conceito mais agressivo, que beira uma bossa marginal, tendo como base a voz e os acordes do violão.
O trabalho expressa com clareza a variedade de estilos, e a criatividade que a Yzalú impõe na sua música. A produção do álbum é assinada por Marcelo Sanches.

De acordo com Yzalú, o álbum antes de tudo é uma realização pessoal, e explica a alma do trabalho "Acredito que além de discutir temas importantes como a revista vexatória, por exemplo, há momentos para se falar de amor, porque amar também é importante. Então, o disco propõe ao público conhecer um universo, lírico, romântico e, sobretudo contestador que é o "Minha Bossa é Treta"!

Yzalú
A menina que nasceu no Jardim Thelma, em São Bernardo do Campo, região do ABC paulista, cresceu ao som de músicas de protestos, como Rap, Reggae e Samba de Raiz.
A carreira da Yzalú no rap e nos movimentos sociais das periferias de São Paulo começou em 2000, com shows no estilo voz e violão, cantando versões acústicas de sucessos do hip-hop nacional. O trabalho da rapper foi lançado na internet, os vídeos viraram febre. Logo surgiram as primeiras composições e participações especiais em trabalhos de outros artista, como Eduardo (ex-integrante do Façção Central) e o grupo Detentos do Rap.

Música Periférica Brasileira
A cantora junto com nomes de peso como Rael, Criolo e Liniker, à frente do novo movimento musical do país, o da Música Periférica Brasileira, que é formado essencialmente por artistas negros, que saíram de diversos pontos periféricos de São Paulo e foram influenciados pelo soul, mpb, samba e rap, criaram um som original e marginal, mas com uma roupagem arrojada na forma de reivindicar seus direitos e falar de amor.

O show com apresentação única, contará com participações especiais de: Karol RC, Stefanie Roberta e Cris SNJ, acontece na próxima sexta-feira, dia 26 de agosto, no Sesc Santo André, às 21h.
Ingressos:
R$ 5,00 (comerciários)
R$ 10,00 (meia)
R$ 20,00 (inteira)

Sesc Santo André
Rua Tamarutaca, 302 - Vila Guiomar.
Santo André - SP

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade