0

Você participa de algum programa de milhas aéreas? Confira as opções que você tem e que as companhias não falam

29 mar 2017
11h55
  • separator
  • comentários

Os programas de milhas têm tido bastante adesão. Conseguir descontos nas passagens viabiliza que muitas viagens aconteçam. O transporte aéreo ainda é um tanto caro para o brasileiro e lançar mão de opções alternativas para pagar a passagem é uma ideia muito bem-vinda. Os programas de milhas surgiram para tentar ajudar o cliente - e a empresa, claro - a encontrar mais vantagens em escolher a companhia mais apropriada e viajar somente com ela. Tratam-se de programas de fidelidade, criados para funcionar somente se o cliente viajar bastante com uma só companhia.

Foto: DINO

Quanto mais se voa, mais se ganha pontos para trocar por mais passagens. A ideia, em si, é um tanto atraente, mas é preciso esclarecer alguns pormenores. Por exemplo: é possível pagar com milhas a viagem de um casal ou família? Há outros benefícios? Posso emitir a passagem para um amigo em forma de presente? Há diversas outras condições que é preciso considerar para avaliar se os programas realmente valem a pena ou acabam por nos restringir a liberdade.

Intercâmbio de milhas

As milhas acumuladas são propriedade dos clientes. Visando evitar que estes se utilizem de algumas brechas para ter ainda mais vantagens com os programas, as companhias procuram impedir que as pessoas transfiram, vendam ou comprem milhas de outras pessoas. Embora a compra, venda e transferência sejam permitidas internamente, restrições são impostas no caso de as mesmas atividades serem feitas externamente. Algumas ameaçam expulsar o cliente do programa caso descubram alguma irregularidade.

O que é importante saber sobre isso: não há como rastrear os passos de um cliente. Isso é puro terrorismo. Muitas empresas procuram falar com certa propriedade sobre determinados assuntos buscando sugerir que possuem direitos inexistentes. Assim, se você acumulou, as milhas são suas e você tem o direito de fazer delas o que bem quiser. A legislação brasileira não prevê nenhuma penalidade para isso. Desde quando as empresas passaram a superar as determinações em lei e impor punições às pessoas? Complicado, não?

Assim, você pode, por exemplo, vender suas milhas. O prazo de validade dos pontos acumulados geralmente não ultrapassa dois anos. Portanto, se você acumulou bastante mas não conseguiu ser liberado do trabalho para tirar as merecidas férias, perderá tudo de acordo com o regulamento das companhias. Vendendo os seus pontos, você deixa o prejuízo de lado e consegue, ao menos, uma renda extra. É simples, seguro e rápido. Para vender suas milhas, basta acessar a Central Milhas através do site e entrar em contato com um consultor. O negócio é seguro: você recebe o dinheiro antes de passar a senha da sua conta, de modo que a empresa assume todo o risco. Se desejar, pode também entrar em contato por telefone através de um dos números listados aqui. O atendimento é 24 horas e presta toda a assistência antes, durante e depois da venda. Confira os serviços da Central Milhas e aproveite da melhor forma possível o uso dos seus pontos acumulados!
Autor: https://www.centralmilhas.com.br/ Central Milhas

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade