0

Startups verdes se unem para mudar o consumo no Brasil

17 mar 2017
16h42
  • separator
  • comentários

As preocupações com o meio ambiente e a sustentabilidade a cada dia ganham mais força em todo o mundo. Um grande número de pessoas vem mudando seu comportamento e seus hábitos de consumo para se adequarem a essa nova realidade. Porém, ainda lidamos com muitas questões que dificultam uma evolução ainda maior deste tema, como a falta de informação e a ideia de que ser sustentável é caro. Para mudar isso empresas estão se unindo para salvar nosso planeta, por meio de parcerias que promovem a economia colaborativa, o empreendedorismo social e o consumo consciente.

Foto: DINO

2 problemas, 1 solução
Como forma de ajudar, tanto na divulgação de empresas sustentáveis, quanto na viabilização do consumo consciente (por meio de informação e descontos para os consumidores) surgiu o Clube GREENS. O clube de vantagens, idealizado por 4 empreendedores, promove empresas sustentáveis, pois acredita que o principal fator para a mudança da forma de consumo é a disseminação de informação. "Sem uma preocupação real, continuamos com o consumo desenfreado, ocasionando consequências sérias para o ambiente e, consequentemente, para nossa sociedade", ressaltam eles em seu site. Na prática a ferramenta funciona da seguinte forma, a pessoa se cadastra e paga uma pequena mensalidade que dá direito a descontos, que variam de 10% a 30%, em empresas com "uma pegada positiva".
As empresas cadastradas no clube de vantagens são das mais distintas categorias, que inclui alimentação, transporte, educação, casa e energia, viagens, produtos pessoais e roupas, como é o caso da Loja Síntese, marca de camisetas feitas de PET.

Ser sustentável custa caro ?
Ir contra a corrente da produção desenfreada tem seus prós e contras. Se por um lado às empresas que se preocupam com o meio ambiente e a sociedade estão gerando um impacto positivo para o planeta, por outro elas podem gerar um impacto negativo em sua conta bancária. "Nossa matéria prima por ser reciclada é mais cara, e não mais barata como algumas pessoas podem achar. Remuneramos nossas costureiras de forma justa e ainda fazemos ações sociais, tudo isso encarece o custo final do nosso produto", ressalta Izis Bispo, cofundadora da Loja Síntese. Para diminuir seus custos a empresa fecha parcerias, como a que tem com o Clube GREENS, que visam maior visibilidade para a empresa, atraindo mais público para sua loja online a um custo menor do que a publicidade tradicional.

A conta está saindo do vermelho
Para as empresas, o futuro é cada vez mais verde, tanto nas ações quanto no bolso. Prova disso são os resultados de uma pesquisa global online da Nielsen, empresa que estuda o comportamento de compra das pessoas em mais de 100 países, que constatou que os consumidores estão cada vez mais dispostos a pagar mais por produtos sustentáveis. De fato, 66% dos entrevistados dizem estarem dispostos a pagar mais por produtos e serviços que vêm de empresas que estão comprometidas com um impacto social e ambiental positivo, acima dos 55% em 2014 e 50% em 2013. Já uma análise de vendas da Nielsen no varejo de 2014, mostrou que as marcas que demonstram um compromisso com a sustentabilidade cresceram mais de 4%, enquanto aquelas que não demonstram, tiveram menos de 1%. "Não queremos simplesmente lucrar, queremos que os consumidores vejam antes nosso valor e depois nosso preço. Assim ele perceberá que não está pagando mais caro, como pensa, mais sim o valor justo para a sociedade e para o planeta", reflete Izis sobre o resultado da pesquisa.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade