5 eventos ao vivo

Segundo estudo, 61% dos brasileiros optam por pratos congelados, prontos ou semiprontos

3 abr 2017
10h16
atualizado às 11h14
  • separator
  • 0
  • comentários

O Brasil é o país com o maior número de consumidores de alimentos congelados da América Latina. Atualmente, cerca de 61% dos brasileiros preferem a praticidade das refeições prontas congeladas. Entre a preferência nacional estão as marmitas congeladas e os menus já preparados. Além disso, muitas marcas passaram a reduzir o sódio e a gordura dos seus produtos, para atraírem mais clientes e potenciais consumidores.

Segundo a pesquisa Nacional Fiesp/Ibope Brasil Food Trands 2020, 34% dos consumidores do país, divididos igualmente entre classes AB e C, trabalham em tempo integral e possuem pouco tempo para se dedicar à alimentação da família, optando pelas refeições prontas congeladas na hora de se alimentar. Outro estudo, feito pelo Consumer Watch Express Shopper, da Kantar Worldpanel, afirma que 61% dos brasileiros optam por pratos congelados, prontos ou semiprontos.

Nos últimos dez anos, as refeições prontas congeladas passaram a ocupar um espaço cada vez maior no cardápio dos brasileiros. O consumo desse tipo de alimento, que antes era visto apenas em famílias de classe média e alta, acabou chegando até as demais classes sociais, principalmente nas grandes metrópoles e em regiões onde a participação das mulheres no mercado de trabalho aumentou. Foi assim que as refeições prontas congeladas entraram no cardápio de boa parte das casas brasileiras.

As mudanças nos hábitos alimentares dos brasileiros, totalmente adaptados a praticidade das refeições prontas congeladas, também são o foco de empresários dos setores de atacado e varejo, que apostam em produtos ligados à conveniência e que facilitam a vida do cliente. Uma pesquisa realizada pela Abia (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação) indica que o segmento de congelados e desidratados prontos para consumo movimentou R$ 7,4 bilhões de reais em 2011, montante que foi de R$ 6,3 bilhões de reais no ano de 2010. Dados mais recentes mostram que o foodservice, que também é atendido pelo atacadista distribuidor, faturou R$ 100,5 bilhões de reais em 2012, sendo que, em 2011, esse faturamento foi de R$ 88 bilhões de reais.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Data Popular em 251 cidades do Brasil, os hábitos de compra de pratos semiprontos e congelados ainda não se impuseram suficientemente entre os representantes da nova classe média brasileira, nem entre a população de baixa renda. Mesmo assim, considerando a distribuição total das pessoas que costumam adquirir refeições congeladas prontas e semiprontas nos supermercados, a pesquisa constatou que os emergentes somados (classes C, D e E) correspondem a oito em cada dez consumidores. A mesma pesquisa também revelou que, com a ampliação do mercado de trabalho, os brasileiros começaram a gastar mais dinheiro com alimentação fora de casa.

O número de pessoas que moram sozinhas também aumentou, e esse é outro fator que contribui para mudança nos hábitos alimentares e preferência por refeições prontas congeladas. Dados obtidos pela Nielsen indicam que pessoas que moram sozinhas possuem a tendência de consumir produtos mais caros. Por exemplo, lares constituídos por tais pessoas gastaram 36% a mais do que a média no Brasil com o consumo de sobremesas prontas. Em conformidade com as mudanças econômicas que ocorrem no Brasil, pode-se reconhecer que a tendência das refeições prontas congeladas veio para ficar e que as oportunidades serão cada vez maiores no segmento.

A Juliette Congelados é uma das empresas desse mercado de refeições prontas congeladas. Os Congelados Juliette são comercializados em porções individuais e de 500 gramas. A ideia principal da Juliette Congelados é agregar comida de bom gosto à praticidade e bom preço.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade