3 eventos ao vivo

Membros da Academia Brasileira de Letras serão jurados do Prêmio ABMES de Jornalismo 2017

20 abr 2017
15h43
  • separator
  • comentários

Três dos ilustres imortais que ocupam hoje assentos na Academia Brasileira de Letras irão compor a comissão julgadora da primeira edição do Prêmio de Jornalismo da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES). Arnaldo Niskier, Marcos Vilaça e Merval Pereira serão os jurados que irão avaliar e selecionar os vencedores da premiação. O concurso irá eleger as melhores reportagens produzidas que abordem o tema "Educação Superior no Brasil". O regulamento prevê oito prêmios em dinheiro (no valor bruto total de R$100 mil reais), distribuídos em duas categorias (Nacional e Regional) nos segmentos de Impresso, TV, Rádio e Internet. As inscrições já estão abertas e vão até o dia 31 de maio. Os finalistas serão anunciados no dia 7 de julho e a cerimônia de premiação está marcada para o dia 8 de agosto. São aceitas reportagens publicadas de 1º de janeiro de 2016 a 31 de maio de 2017.

Foto: DINO

Os Jurados:

Arnaldo Niskier- É membro da Academia Brasileia de Letras desde 1984, sendo recebido pela acadêmica Rachel de Queiroz. Presidiu a casa de 1998 a 1999. É bacharel em Matemática e licenciado em Matemática pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (UERJ); além de bacharel e licenciado em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (UERJ). Doutor em Educação, em decorrência de aprovação no concurso para Livre Docência (UERJ). Catedrático por concurso de Administração Escolar e Educação Comparada (UERJ). Titular de História e Filosofia da Educação da UERJ, aposentado em 1995. Membro do Conselho Técnico da Confederação Nacional do Comércio; do Conselho Diretor do Instituto Metropolitano de Altos Estudos; do Instituto de Estudos Econômicos, Políticos e Sociais da Federação do Comércio de SP; Secretário de Estado de Cultura do Rio de Janeiro; presidente do Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional; membro do Conselho Editorial da Câmara dos Deputados e secretário de Estado de Educação do Rio de Janeiro.

Marcos Vilaça- É advogado, jornalista, professor, ensaísta e poeta brasileiro, membro da Academia Brasileira de Letras desde 1985, tendo presidido em 2006, 2007, 2010 e 2011. Foi presidente do Tribunal de Contas da União, membro da Comissão Mista de Cooperação Técnica, Científica e Cultural entre os Tribunais de Contas dos Países de Língua Portuguesa; integrante do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, do Conselho Pernambucano Pacto 21; do Conselho Editorial da Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão da Fundação Getúlio Vargas; Integrante do júri do Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira; membro consultivo da Associação de Imprensa de Pernambuco; presidente honorário da Academia Pernambucana de Letras ; membro do Conselho Empresarial de Cultura da Associação Comercial do Rio de Janeiro.

Merval Pereira- Membro da Academia Brasileira de Letras desde 2011, é comentarista da Globonews, da Rádio CBN e Colunista de O Globo. Em 1979 recebeu o Prêmio Esso pela série de reportagens "A segunda guerra, sucessão de Geisel" que, posteriormente, virou livro. Trabalhou na revista Veja, foi editor-executivo do Jornal do Brasil. Se especializou em política internacional pela Universidade Stanford, na Califórnia, como único bolsista da América Latina da John S. Knight Fellowship. Faz parte do Conselho Editorial das Organizações Globo e integrou o primeiro Conselho Editorial do jornal Valor Econômico. É media leader do World Economic Forum, onde já foi mediador de debates sobre a situação do Brasil e da América Latina. Membro titular da Academia Brasileira de Filosofia, da Academia de Ciências de Lisboa desde 2016. Em 2009, recebeu o prêmio Maria Moors Cabot da Universidade de Columbia de excelência jornalística, a mais importante premiação internacional do jornalismo das Américas.

Sobre o Prêmio ABMES de Jornalismo - A iniciativa pretende valorizar e dar mais visibilidade ao papel dos jornalistas na ampla cobertura de temas relacionados ao setor, incentivando reportagens que sirvam de balizadores na aferição da qualidade da Educação Superior Particular e sua respectiva contribuição para o desenvolvimento do País. E, ainda, por meio da imprensa, ajudar a elevar as discussões e a participação social em torno dos programas sociais de educação, como o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), e os programas de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e Universidade para Todos (Prouni). Atualmente, 87,5% das Instituições de Educação Superior (IES) são privadas (particulares), segundo último Censo da Educação Superior divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em outubro de 2016. Contam com 75,7% do total de matrículas de graduação, somando, mais de 6 milhões de registros.

A ABMES acredita que o crescimento e o desenvolvimento da cobertura jornalística especializada com abordagens sobre o Ensino Superior Particular ajuda a contribuir para a busca de melhoria permanente do setor, gerando benefícios sociais, políticos, econômicos e culturais para todas as regiões brasileiras, e ajudando o País a se desenvolver. "O papel social da imprensa é fundamental para o cenário democrático em um país. Por isso, valorizar a cobertura jornalística dos diversos segmentos da sociedade e da economia é de extrema importância quando o que se deseja é o crescimento e o desenvolvimento do Brasil", observa Janguiê Diniz, diretor presidente da ABMES.

Para a associação, o Prêmio também ajuda a reforçar a importância do papel social do Ensino Superior Particular. Os percentuais mencionados acima demonstram a grande contribuição para o processo de formação de profissionais qualificados para atender às demandas do mercado de trabalho, bem como fazer parte do desenvolvimento das carreiras, atingindo regiões e cidades distantes onde o setor público não está presente. Além disso, a simples existência de uma faculdade em um município, por exemplo, é capaz de gerar impacto no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e aumentar a renda de sua população. Soma-se a isso, a grande quantidade de pessoas que conseguiram conquistar a profissionalização por meio do tão sonhado diploma, e tiveram as vidas transformadas, com melhoria das perspectivas de vida.

Mais informações: imprensa@abmes.org.br

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade