0

Empresário Flavio Maluf noticia sobre as consequências econômicas da saída do Reino Unido da UE

Entenda os possíveis impactos econômicos gerados com a saída do Reino Unido da União Europeia

11 jul 2016
10h53
  • separator
  • comentários

Após o anuncio da saída do Reino Unido da UE (União Europeia), definida através de um referendo no final do mês de junho, o efeito imediato foi de grande queda nas bolsas de valores por toda Europa, que chegaram a cair mais de 12%, e também de grande desvalorização da moeda britânica, a libra esterlina, que chegou a atingir o seu menor valor desde 1985. Além disso, os especialistas apontam que essa saída pode gerar impactos duradouros na economia global, destaca o executivo Flavio Maluf , como por exemplo:

1) Consequências para a própria economia britânica

Segundo números divulgados pela União Europeia, referentes ao ano de 2014, o Reino Unido contribuiu mais com a entidade, repassando cerca de € 11,3 bilhões, do que recebeu (€ 6,9 bilhões), algo que, de acordo com os britânicos que apoiavam a saída do bloco, aumentava a pressão inflacionária sobre o país.

Contudo, Flavio Maluf aponta que, segundo o diretor de operações da FN Capital, Paulo Figueiredo, esse isolamento do Reino Unido do restante do bloco irá ocasionar em uma queda considerável nos investimentos recebidos pelo país. O fim do livre trânsito de pessoas e mercadorias entre países membros da União do Europeia também é capaz de trazer resultados negativos inesperados.

2) Impacto para o comércio exterior do Reino Unido e Europa

Entre os países membros da União Europeia, existe uma união aduaneira que permite o livre comércio sem a aplicação de tarifas e cotas extras sobre os produtos de outros países. Com a saída do bloco, o Reino Unido passará a ter novas taxas em relação ao que era praticado anteriormente, o que provavelmente irá prejudicar o comércio exterior do país com a UE. Por outro lado, aponta Flavio Maluf, de acordo com o especialista Otto Nogami, essa saída também poderá trazer ainda, benefícios ao Reino Unido, pois a partir de agora, o país poderá firmar acordos bilaterais que não eram viáveis anteriormente.

3) Consequências para as importações e exportações brasileiras

Com a saída do Reino Unido da União Europeia, o Brasil pode se beneficiar pois terá a chance de firmar acordos bilaterais com o país, os quais eram anteriormente negociados com base nas normas da UE e, dependendo do tipo de produto, sofriam com impedimentos e taxas. Todavia, esses benefícios são bastante limitados, informa o empresário formado em administração na New York University (NYU), Flavio Maluf, pois o Reino Unido não é um parceiro comercial importante do Brasil, representando menos de 2% das nossas exportações anuais.

4) Impactos para a União Europeia

A saída dos britânicos da UE representa uma grande perda para o bloco, pois o mesmo possuía como países centrais a Alemanha, a França e o próprio Reino Unido, tendo grande parte de sua estrutura estabelecida nesses três países. Atualmente, a França apresenta sinais de fraqueza e cansaço em sua economia, desse modo, cabe a Alemanha sustentar, em termos econômicos, o bloco. Além disso informa o presidente da Eucatex, Flavio Maluf, fica uma grande incerteza por conta do impacto que essa saída poderá gerar no posicionamento dos outros países que são parte do bloco.

DINO Este é um conteúdo comercial divulgado pela empresa Dino e não é de responsabilidade do Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade