6 eventos ao vivo

Fórum Estadão: água como fator de risco para empresas

Debates abordaram acesso à água potável e seca

19 dez 2016
10h44
  • separator
  • 0
  • comentários




"A primeira coisa que a chuva lava é a memória da seca", cita Vicente Andreu, Presidente da ANA (Agência Nacional de Água), "ou seja, logo depois que vem a chuva, as pessoas esquecem todos os problemas que vivenciaram. Essas secas, infelizmente, tudo indica que elas serão cada vez mais graves e mais recorrentes em nosso país".

A seca e a água são temas do Fórum Estadão Sustentabilidade, que reúne especialistas e interessados no auditório Estadão.

Gabriela Gaspari, Gerente de Projetos Especiais do Estadão, fala sobre o Fórum. "Esse é um evento para debater o acesso à água potável no Brasil. Os fóruns Estadão tem esse intuito de debater temas relevantes para a economia do País. Aqui a gente reúne os principais players do setor para debater, inclusive, a questão da seca do Nordeste".

Samuel Barrêto, Gerente Nacional de Água da The Nature Conservancy Brasil (TNC), parceira do evento, cita outro tema abordado no Fórum: a percepção dos riscos relacionados à água por parte das empresas. Em sua apresentação, ele diz que 68% dos CEOs já começaram a se preocupar com o assunto.

"O Relatório de Riscos Globais do Fórum Econômico Mundial, por vários anos seguidos, traz a crise da água como um dos principais riscos globais, mais até do que terrorismo. Risco de escassez, impacto nos negócios e perda de produtividade. Então, é importante não só entender e fazer a gestão desses riscos, mas, principalmente, colocar essa agenda de uma forma mais central na tomada de decisão dos gestores", esclarece Barrêto.

A Ambev, patrocinadora do evento, já se preocupa com o uso da água há mais de 20 anos e busca compartilhar o que aprendeu. 

"O tema água é muito importante para a Ambev. Representa grande parte da nossa matéria prima para a produção de bebidas e a gente entende que já temos muita experiência, muito know-how em relação a isso para compartilhar. A gente entende que chamando especialistas para debater o tema e aumentando a conscientização da sociedade em relação a isso, conseguiremos ajudar a gerar esse awareness e aumentar a conscientização em relação ao uso da água", diz Carla Crippa, gerente de sustentabilidade da Ambev.  

O evento ainda reuniu especialistas como Malu Ribeiro, Coordenadora da Rede de Águas da Fundação SOS Mata Atlântica, Marussia Whately, Coordenadora da Aliança pela Água, Percy Soares Neto, Coordenador na Rede de Recursos Hídricos da Confederação Nacional da Indústria, entre outros.

Foto: Climatempo

                   Vicente Abreu, Presidente da ANA

O Fórum faz um alerta em relação aos 30 milhões de brasileiros que não tem acesso à água potável e à seca na região do semiárido, que se prolonga pelo sexto ano consecutivo. Para Vicente Andreu, mesmo no Sudeste, onde a crise foi contida, é importante que exista uma mudança no padrão de consumo. Na Região Metropolitana de São Paulo o consumo diário por habitante é de 320 litros. Esse valor representa o dobro da média de consumo nacional e está bem longe do ideal recomendado pela Organização Mundial de Saúde, que é de 50 litros por dia para cada habitante. Portanto, segundo Andreu, esse padrão precisa ser reduzido para que haja segurança hídrica no País.

Climatempo
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade