PUBLICIDADE

Daltônico 'ouve' cores com antena implantada na cabeça

Sensor de luz na antena capta frequências de cores; dados são enviados para um chip que transforma as frequências em vibrações, que se tornam sons

11 nov 2014
15h50 atualizado às 15h53
0comentários
15h50 atualizado às 15h53
Publicidade
<p>A antena capta a frequ&ecirc;ncia das cores e envia dados para um chip na cabe&ccedil;a de Harbisson. Ent&atilde;o ele identifica cada cor atrav&eacute;s de uma nota musical diferente&nbsp;</p>
A antena capta a frequência das cores e envia dados para um chip na cabeça de Harbisson. Então ele identifica cada cor através de uma nota musical diferente 
Foto: BBC News Brasil

Neil Harbisson é um artista daltônico: enxerga apenas tons de cinza. Mas essa não é sua principal particularidade: ele anda com uma antena implantada na cabeça, que lhe permite "ouvir" as cores.

A antena capta frequência de cores e envia dados para um chip na cabeça de Harbisson. Harbisson identifica cada cor através de uma nota musical diferente - inclusive aquelas que ele não consegue ver.

"Eu não uso tecnologia, eu sou tecnologia", diz. E manuseando a antena: "Isto é parte do meu corpo. Nunca sai daqui, nunca para. Está sempre ligada".

<p>Harbisson fundou uma organiza&ccedil;&atilde;o internacional que ajuda a implantar a tecnologia nas pessoas interessadas</p>
Harbisson fundou uma organização internacional que ajuda a implantar a tecnologia nas pessoas interessadas
Foto: BBC News Brasil

A antena possui um sensor de luz que capta as frequências das cores. Os dados são enviados para um chip na parte de trás da cabeça do artista, que converte as frequências em vibrações. Estas, por sua vez, são transformadas em sons.

Em 2010, Harbisson fundou a Fundação Cyborg, uma organização internacional que ajuda a implantar tecnologia permanente nos corpos de pessoas interessadas.

BBC News Brasil BBC News Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da BBC News Brasil.
Publicidade
Publicidade