PUBLICIDADE

Veja momentos marcantes do julgamento do caso Eloá

Publicidade
13 de fevereiro O sargento da PM Atos Antonio Valeriano - primeiro a atender o caso - classificou o réu como "desequilibrado". "A negociação corria bem, ele já havia libertado dois dos reféns e ele pediu que eu aparecesse, que queria me ver. Em sinal de confiança, coloquei a cabeça fora da proteção em que eu estava e ele disparou", disse
13 de fevereiro O sargento da PM Atos Antonio Valeriano - primeiro a atender o caso - classificou o réu como "desequilibrado". "A negociação corria bem, ele já havia libertado dois dos reféns e ele pediu que eu aparecesse, que queria me ver. Em sinal de confiança, coloquei a cabeça fora da proteção em que eu estava e ele disparou", disse
Foto: Reinaldo Marques / Terra
Publicidade