1 evento ao vivo

Temer pede que aliados resistam a "situação delicada"

18 abr 2017
17h56
atualizado às 20h34
  • separator
  • comentários

Durante um café da manhã com que reuniu a base aliada, o presidente Michel Temer pediu que parlamentares resistam e não se intimidem com a situação delicada, numa clara referência à Operação Lava Jato. O apelo foi feito em meio ao escândalo da revelação das delações da Odebrecht e as investigações que envolvem oito ministros, 24 senadores e 39 deputados federais.

Foto: Marcos Corrêa/PR

Sem citar abertamente a Lava Jato, o presidente ressaltou aos deputados federais e ministros presentes no evento que o Executivo e o Legislativo não devem ficar paralisados diante de fatos ou notícias que buscam desprestigiar a classe política.

"Há um problema sério no país, há questões das mais variadas que muitas vezes visam desprestigiar a classe política e todos precisamos resistir, tenho resistido o quanto posso. Dou entrevista, falo para dizer aquilo que o Brasil precisa, ou seja, não se pode ter a ideia de que, porque aconteceu isso ou aquilo, o Brasil vai parar", disse Temer.

Foto: Marcos Corrêa/PR

Depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o fim do sigilo das delações dos executivos da Odebrecht, Temer deu várias entrevistas e divulgou um vídeo para se defender das acusações. O presidente foi acusado de negociar com um executivo da Odebrecht, em 2010, uma doação de 40 milhões de dólares para a campanha eleitoral do PMDB.

No café da manhã, o presidente pediu ainda aos parlamentares que não se intimidem achando que estão numa "situação delicada" e afirmou que cabe ao Judiciário julgar quem está ou não nesta situação. Temer aconselhou ainda os aliados a mostrar trabalho em resposta "ao momento que vivemos", se revezando as tribunas da Câmara para defender as reformas e o governo.

"A resposta que podemos dar ao povo brasileiro, é o povo olhar e dizer, puxa, estão trabalhando, já trabalharam no passado, fizeram muita coisa e agora fizeram mais", ressaltou Temer.

Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente destacou a importância do diálogo entre o Executivo e o Legislativo e disse que parceria entre ambos tem dado bons resultados com a aprovação de medidas necessárias para o país.

"O governo só resistiu porque estamos trabalhando juntos, o Executivo e o Legislativo. Enfatizo muito, acho que é um momento histórico do país, sem embargo da dificuldade, temos que dar uma prova de trabalho que virá pela aprovação dessas reformas", disse.

O café da manhã foi convocado para discutir a reforma da Previdência. No encontro, o relator da proposta em discussão na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS), apresentou o relatório sobre a medida.

Deutsche Welle Deutsche Welle

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade