PUBLICIDADE

RS: ex-miss se afasta do governo por atrito com secretário

6 mai 2015
14h41 atualizado às 16h00
0comentários
14h41 atualizado às 16h00
Publicidade

A ex-miss Brasil Gabriela Markus está deixando o cargo de secretária adjunta doTurismo, Esporte e do Lazer do Rio Grande do Sul. Gabriela encaminhou seu pedido de exoneração, sobre o qual, até a manhã desta quarta-feira, ainda não havia resposta formal. Uma confirmação oficial e seus respectivos desdobramentos são aguardados para a parte da tarde.

Gabriela Markus, Miss Brasil 2012 e secretária-adjunta da pasta de Turismo do Rio Grande do Sul
Gabriela Markus, Miss Brasil 2012 e secretária-adjunta da pasta de Turismo do Rio Grande do Sul
Foto: Arquivo Pessoal / Divulgação

Desde que o pedido foi encaminhado, a ex-miss debate com integrantes do governo seu futuro. A ideia é que ela seja realocada em outra secretaria, uma vez que sua saída da pasta do Esporte está relacionada a desavenças com o secretário Juvir Costella (PMDB). Integrantes da secretaria afirmam que Gabriela estava muito incomodada com posturas e brincadeiras ‘pouco elegantes’ de Costella. Conforme informações da secretaria, ela ainda está no cargo e, nesta quarta, está em viagem de trabalho.

Gabriela Markus, secretária-adjunta de Turismo, em atividade oficial ao lado do governador José Ivo Sartori
Gabriela Markus, secretária-adjunta de Turismo, em atividade oficial ao lado do governador José Ivo Sartori
Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini / Divulgação

Gabriela é a segunda baixa na secretaria em um mês. No início de abril, o ex-jogador de vôlei Paulão, que então ocupava a Diretoria de Esportes, também pediu exoneração. Ao sair, Paulão fez uma série de críticas à Costella, citando manifestações inconvenientes e a forma ameaçadora como ele trataria funcionários. À época, ganhou publicidade uma situação ocorrida em março, e envolvendo Costella, Paulão e Gabriela. Na ocasião, Costella teria feito uma brincadeira dizendo que Gabriela e Paulão deveriam reservar quarto com cama de casal durante uma viagem de trabalho, causando constrangimento a ambos.  Quando Paulão deixou o cargo, o secretário atribuiu a mudança às dificuldades do ex-jogador em conciliar o trabalho e seus interesses particulares.

Gabriela Markus, Miss Brasil 2012, foi recebida pela primeira-dama do Estado, Maria Helena Sartori (E), no início de seu trabalho na secretaria do Turismo
Gabriela Markus, Miss Brasil 2012, foi recebida pela primeira-dama do Estado, Maria Helena Sartori (E), no início de seu trabalho na secretaria do Turismo
Foto: Luiz Chaves/Palacio Piratini / Divulgação

Interlocutores do governador José Ivo Sartori (PMDB) confirmam que a Secretaria do Esporte tem se mostrado uma ‘dor de cabeça’ desnecessária e que é difícil resolver a situação, em função do arranjo feito pelo governador, que priorizou a abertura de uma vaga para Ibsen Pinheiro na bancada peemedebista na Assembleia Legislativa. Na eleição do ano passado, Ibsen disputou uma cadeira na Assembleia, mas obteve a terceira suplência. À sua frente ficaram Costella e Maria Helena Sartori, esposa do governador.

Gabriela Markus em atividade oficial como secretária-adjunta da pasta de Turismo do Rio Grande do Sul
Gabriela Markus em atividade oficial como secretária-adjunta da pasta de Turismo do Rio Grande do Sul
Foto: SDR / Divulgação

Na montagem do governo, Sartori ‘puxou’ o deputado eleito Fábio Branco para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, abrindo vaga para Costella. Este, mesmo sem qualquer vinculação anterior com a área do Esporte, foi então nomeado titular da pasta, abrindo vaga no Legislativo para Maria Helena. A esposa de Sartori também recebeu cargo no Executivo. Ela comanda o Gabinete de Políticas Sociais que, em fevereiro, ganhou status de secretaria. A mudança permitiu que Maria Helena se licenciasse da Assembleia sem precisar renunciar ao mandato. E, com as recolocações, Ibsen finalmente assumiu uma cadeira como deputado.

Gabriela, por sua vez, chegou à secretária-adjunta após ter sido uma das apostas do PMDB gaúcho para a Assembleia no ano passado. Na corrida por uma cadeira no Legislativo, ela obteve 26.324 votos (apenas 200 a menos do que Ibsen), ficando com a quinta suplência.

 

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade