PUBLICIDADE

Feliciano admite derrota e diz que 'cura gay' pode voltar: 'nos aguarde em 2015'

2 jul 2013 19h19
| atualizado às 19h42
ver comentários
Publicidade
<p>No sábado, Marco Feliciano participou da Marcha para Jesus, em São Paulo, e publicou foto em seu perfil do Twitter</p>
No sábado, Marco Feliciano participou da Marcha para Jesus, em São Paulo, e publicou foto em seu perfil do Twitter
Foto: Divulgação / Divulgação

O deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados afirmou nesta terça-feira que, mesmo com o arquivamento do projeto conhecido como “cura gay”, a matéria pode voltar à votação na Casa. “O PDC (Projeto de Decreto Legislativo) não foi arquivado mas retirado, e pode voltar. E voltará na próxima legislatura quando teremos um número maior de deputados evangélicos”, disse ele em seu perfil no Twitter.

O deputado João Campos (PSDB-GO), autor do projeto, decidiu nesta terça-feira arquivar a proposta na Câmara Federal. O recuo de Campos veio após a onda de protestos que atinge o País há quase um mês. Para Feliciano, o parlamentar acertou ao retirar a matéria pois “o PSDB, seu partido, inviabilizou quando notificou ser contra”. “Entendeu ele (João Campos) que os ativistas, a mídia e alguns partidos invisíveis usariam o PDC 234 para tirar o foco das manifestações verdadeira”, disse o presidente da CDH.

Feliciano afirmou ainda que a bancada evangélica já esperava a derrota do projeto. “Sempre soubemos que perderíamos nas comissões por sermos poucos”, disse. A “cura gay” foi aprovada na CDH, mas precisaria passar por duas comissões da Câmara antes de ser votada em plenário.

Para o deputado, mesmo assim, a Frente Evangélica “marcou posição”. “Essa perseguição de parte da mídia e dos ativistas nos fortaleceu e nosso povo acordou. Nos aguarde em 2015! Viremos com força dobrada”, afirmou.

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade