0

MS: Zeca do PT, de governador a vereador mais votado

9 out 2012
11h05

Lucia Morel
Direto de Campo Grande

De governador a vereador. De 155.662 votos como candidato ao governo do MS em 2010 para 13.010 em 2012. Tamanha diferença de cargos e números parece não afetar em nada um dos fundadores do PT em Mato Grosso do Sul e ex-governador do Estado, José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, o vereador mais votado de Campo Grande (MS).

Veja os salários dos prefeitos e vereadores das capitais

Desde 1980, quando começou sua trajetória política ao iniciar as atividades do partido no MS, até agora, quando surpreendeu a todos concorrendo a uma vaga no Legislativo de Campo Grande, Zeca afirma, como já fez várias outras vezes, que está "à disposição do partido" e garante que o retorno a um cargo de base, como o de vereador, não é humilhante. "Não sou candidato a nada e sou candidato a tudo se o PT quiser".

O vereador, que nestas eleições foi o mais bem votado da capital com 13.010 votos, garante que sempre se negou a ser um "profissional da política", o que para ele é correr atrás de cargos, um atrás do outro. "Não queria ficar eternamente correndo atrás de mandatos. Tem gente que fica 10, 20 anos num mesmo cargo, e eu acho isso um equívoco. Tem que trabalhar, mas não depender disso eternamente".

Ele comentou que, em 2005, quando terminou seu segundo mandato como governador do Estado, não quis se candidatar ao Senado por Mato Grosso do Sul, porque, depois de dois mandatos consecutivos como chefe do Executivo estadual, precisava de tempo para si e para a família. "Queria organizar minha vida, porque senão ia me transformar num profissional da política, e isso eu não quero".

Antes de ser eleito governador por dois mandatos (1998-2002/2002-2006), José Orcírio foi eleito vereador em 1988, mas em 1990 voltou para o Sindicato dos Bancários, como presidente da entidade. Retornou a um cargo eletivo nas eleições de 1994, sendo eleito deputado estadual. Em 1996, foi candidato à prefeitura de Campo Grande e, em segundo turno, perdeu as eleições por 411 votos para o atual governador, André Puccinelli.

O bancário aposentado que virou ícone do PT sul-mato-grossense e governador, concorreu ao Executivo Estadual em 1998, após quatro anos como deputado, e ganhou as eleições. Renovou sua candidatura quatro anos depois, sendo novamente eleito e permanecendo no cargo até dezembro de 2006 - mesmo ano em que Puccinelli concorreu e venceu as eleições para o governo de MS.

Em 2010, eles voltaram a se enfrentar, mais uma vez para o cargo de chefe do Executivo. O atual governador venceu com 56% dos votos e Zeca teve 43%. "Nós perdemos aquelas eleições e agora, num gesto de humildade e gratidão ao PT, topei ser candidato a vereador", sustentou.

Mesmo sendo acusado de improbidade administrativa e ser réu em diversos processos na Justiça, entre eles, o de pagamento superfaturado a agências publicitárias, Zeca afirma que em seus oito anos no comando do MS, "fui o governador que industrializou o Estado, fugindo da polarização do boi e da soja, botamos o salário dos servidores em dia, respeitamos os servidores e demos proteção devida às camadas mais pobres".

Projetos
Agora, o ex-governador que é vereador prepara seus projetos para a Câmara Municipal em 2013 e já tem quatro deles engatilhados. O primeiro diz respeito ao controle de beneficiados e cadastrados no serviço de moradia popular. "Um projeto obriga que a prefeitura divulgue a cada 90 dias quem e quantas pessoas fizeram a inscrição da casa própria, porque o que vemos em Campo Grande é que casa do governo é pra cupincha".

Outro projeto é o de dar transparência ao valor que é arrecadado com a taxa de iluminação pública. "Nos bairros ricos tem iluminação adequada, nos mais pobres, se paga a taxa, mas não se tem o serviço e queremos acabar com isso".

O ex-governador disse que também pretende modificar o sistema de distribuição dos gabinetes do Legislativo Municipal, não sendo mais por "favorecimento político, mas por sorteio" e ainda democratizar a Câmara dos Vereadores "em todos os sentidos, criando mecanismos para que todos os vereadores possam participar mais efetivamente das sessões".

Nome forte do PT e provavelmente um dos políticos de Mato Grosso que pode se candidatar a qualquer cargo com boa probabilidade de ser eleito, Zeca do PT garantiu ao Terra que, como vereador, estará nas ruas, ouvindo a população e não apenas no gabinete. Ao fim de sua entrevista, mostrou que vai atuar nesse cargo com a tranquilidade que atuaria em qualquer outro. "Como dizem, a vida é um eterno recomeçar. Eu não tenho projeto pessoal e não vejo nenhum problema em ser vereador".

Zeca garante que sempre se negou a ser um "profissional da política"
Zeca garante que sempre se negou a ser um "profissional da política"
Foto: Facebook / Reprodução

Veja também:

Fonte: Especial para Terra
publicidade