PUBLICIDADE

Dia do Basta organiza protestos contra corrupção em 42 cidades

21 abr 2012
14h29 atualizado às 16h08
14h29 atualizado às 16h08
Publicidade

Manifestantes em 42 cidades do País organizam protestos neste sábado para marcar o Dia do Basta e pedir o fim da corrupção. Em Curitiba, Belém do Pará e Brasília, ativistas já foram às ruas com cartazes e rostos pintados. Em Ribeirão Preto (SP), manifestantes se encontraram antes do horário para organizar a marcha. A maioria das cidades deve ter protestos durante a tarde, segundo o site do Dia do Basta.

Com o rosto pintado nas cores da bandeira do Brasil, jovem participa de protesto contra a corrupção em Brasília
Com o rosto pintado nas cores da bandeira do Brasil, jovem participa de protesto contra a corrupção em Brasília
Foto: AP

Durante a manhã, 6 mil pessoas (estimativa da Polícia Militar) marcharam na Esplanada dos Ministérios vestindo roupas pretas e carregando faixas e cartazes que pediam o fim dos desvios de verbas públicas. O protesto, que representou o Dia do Basta na Capital Federal, foi organizado pelo Movimento Brasil contra a Corrupção (MBCC). Manifestantes levaram cartazes que pediam a saída do governador do Distro Federal, Agnelo Queiroz, citado nas investigações da Polícia Federal que levaram à prisão do empresário goiano Carlinhos Cachoeira, suspeito de comandar um esquema de jogos ilegais.

O Dia do Basta é, segundo a organização do evento, "um movimento social de iniciativa popular de caráter pacífico e apartidário, formado por diversos estados e várias cidades brasileiras". Eles buscam mobilizar aqueles que são comprometidos com a cidadania em favor do resgate da ética nas instituições públicas, nas esferas nacional, estadual e municipal. "Nosso objetivo é estimular e mobilizar a sociedade brasileira para: a troca de ideias, articulações, ações e manifestações (pacíficas e apartidárias) na internet, ruas e praças de nossas cidades.", diz um comunicado do movimento.

Além disso, eles lutam por melhorias na educação, na saúde, na segurança e na infraestrutura do Brasil. De acordo com o grupo, são quatro as bandeiras levantadas: 10% do PIB para a Educação, voto parlamentar aberto, fim do foro privilegiado para o corrupto e a corrupção como crime hediondo. "Vivemos uma grande mentira: somos a 6ª economia mundial, mas não aproveitamos nosso crescimento onde mais precisamos", dizem os organizadores do evento no comunicado que convoca a população.

Com informações da Agência Brasil.

Fonte: Terra
Publicidade