Vestibular

Vestibular

Quarta, 9 de setembro de 2009, 14h58

Cardeal do Vaticano anuncia PUC em Goiás

Márcio Leijoto

Direto de Goiânia

O cardeal polonês Zenon Grocholewski, 69, prefeito da Sagrada Congregação para a Educação Católica do Vaticano, anunciou ontem à noite em Goiânia o reconhecimento pontifício da Universidade Católica de Goiás (UCG). A instituição - criada em 1959 que conta com mais de 26 mil alunos - se tornou a sétima Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Brasil e a 31ª do mundo.

De acordo com o reitor da agora PUC de Goiás, Wolmir Amado, a instituição tem um perfil internacional, com diplomas reconhecidos tanto pelo governo brasileiro como pelo do Vaticano. Ainda segundo ele, a mudança vai facilitar a formação de convênios e intercâmbios com outras PUCs no mundo todo.

O reconhecimento foi anunciado durante a entrega do título de Doutor Honoris Causa pela universidade do cardeal, que ocupa um cargo parecido com o de um ministro da Educação e é uma pessoa muito próxima do papa Bento XVI. Esteve presente no evento o núncio apostólico do Brasil, dom Lorenzo Baldisseri, para quem, segundo o reitor, foi feito o primeiro pedido para a transformação da UCG em uma PUC, há seis anos.

"Foi um longo processo, no qual fizemos várias mudanças, adaptações, ampliações, tanto de estrutura como transformações jurídicas, foram vários questionamentos respondidos e hoje tivemos esse valioso reconhecimento. O maior beneficiado é sem dúvida o aluno que agora passa a integrar uma universidade com perfil internacional, ligada a outras PUCs no Brasil e no mundo, e reconhecida por dois governos", disse Amado.

Grocholewski entregou um documento em latim de reconhecimento pontifício da instituição, além de outros dois nomeando o arcebispo da Arquidiocese da Região Metropolitana de Goiânia, dom Washington Cruz, o grande chanceler da instituição e Wolmir Amado o reitor da PUC-GO. "Agora quem faz essas nomeações é o próprio papa", comentou o arcebispo.

Em italiano, traduzido por dom Washington, o cardeal disse à reportagem que o anúncio é um reconhecimento do valor da universidade por parte do Vaticano, mas ao mesmo tempo é uma maior responsabilidade da instituição perante a Santa Sé e a igreja católica universal.

Durante seu discurso, Grocholewski salientou o fato de a UCG ser a primeira instituição de ensino superior católico no Centro-Oeste do Brasil, trazendo "conhecimento e sabedoria" para a região. "Essa instituição assume uma dimensão particular de responsabilidade, reforçando seu vínculo com a igreja de Pedro."

O cardeal está em Goiânia desde o dia cinco e participa de uma série de eventos até o próximo dia 10, parte da comemoração dos 50 anos da universidade. Criada em 17 de outubro de 1959, a instituição conta com mais de 26 mil alunos em 50 cursos de graduação, 82 especializações, 15 mestrados, três doutorados e 40 cursos de extensão, além de 1,5 mil professores e cerca de 900 funcionários.

  • Imprima esta notícia
  • Envie esta notícia por e-mail

Busca

Busque outras notícias no Terra: