Fique de olho

Fique de olho

Segunda, 13 de abril de 2009, 09h54

L'Aquila pode inspirar questão sobre terremotos

Abalos sísmicos como o terremoto que atingiu a região central da Itália na madrugada de segunda-feira, deixando mais de 200 mortos e devastando a cidade medieval de L'Aquila, podem ser assunto das provas de Geografia no vestibular.

» Medo de novos tremores fazem de L'Aquila uma cidade fantasma

O professor Claudio Terezo, autor do livro "Novo Dicionário de Geografia", explica que terremotos são abalos causados pela liberação repentina da energia acumulada durante longos intervalos de tempo em que as placas tectônicas sofreram esforços para se movimentar.

"Quando o atrito entre elas é vencido - subducção ou falha transformante - ou quando partes se rompem - separação de placas -, ocorrem os abalos. Eles têm intensidade, duração e freqüência variáveis, podendo resultar em grandes modificações na superfície, não só pela destruição que causam, mas por estarem associados aos movimentos das placas tectônicas", diz.

A incidência de terremotos está localizada principalmente nas bordas das placas tectônicas, áreas onde ocorrem colisões entre imensos blocos rochosos, detalha o geógrafo. Regiões como o sul do Chile, a América Central e costa oeste da América do Norte costumam ser atingidas por esse tipo de fenômeno, assim como países como Japão e Indonésia. "Também existe grande movimentação em áreas com dobramentos recentes (altas montanhas) como os Alpes europeus e Himalaia", complementa o professor.

Terezo diz que as ciências da Terra são alvo de vários tipos de questionamentos no vestibular. "A forma como aluno vai trabalhar e relacionar os conteúdos deve seguir uma linha partindo da história de formação do planeta. As teoria da deriva dos continentes e da tectônica de placas, estrutura interna e composição da Terra, transformação do relevo e vulcões", ressalta. Outra dica do professor é lembrar que os terremotos não são provocados pela ação do homem: "Pode ocorrer alguma pegadinha relacionando o tema com questões ambientais e ecológicas envolvendo o tão falado - muitas vezes de maneira equivocada - aquecimento global".

Segundo o geógrafo, pode haver ainda outras causas para os terremotos: "Tanto que houve um no Brasil, que é área geologicamente estável, que não está no limite das placas tectônicas. Nos terrenos sedimentares, pode haver um ajuste de terra nas camadas mais profundas do terreno e provocar um abalo sísmico, mas será de baixa amplitude na escala Richter. Esses abalos sísmicos são conhecidos por desmoronamentos internos".

  • Imprima esta notícia
  • Envie esta notícia por e-mail

Busca

Busque outras notícias no Terra: