Guia de profissões


 
A B C D E
F
G H J L M N O P R T V

Farmácia

Este profissional tem remédio pra tudo. Afinal, o que diz respeito aos medicamentos, desde o seu desenvolvimento até a venda no balcão, é de responsabilidade do profissional de Farmácia. O farmacêutico cria novas drogas, é responsável pela qualidade delas e responde pela farmácia até dentro de hospitais.

Mercado - De uns anos pra cá, cursar Farmácia virou sinônimo de emprego garantido. Isso porque há uma lei que exige a presença de um farmacêutico em cada farmácia ou drogaria brasileira. "Um grande diferencial para o recém-formado farmacêutico em relação às demais profissões da área da saúde é a colocação imediata no mercado de trabalho. As drogarias solicitam quase que instantaneamente os profissionais", confirma o diretor do curso de Farmácia e Bioquímica da Universidade Guarulhos (UnG), Eloi Lago.

Ele comenta que as áreas de maior abrangência na profissão são a atuação em drogarias e farmácias de manipulação; indústria farmacêutica em áreas como controle de qualidade, validação de métodos analíticos, desenvolvimento de novos remédios, pesquisa clínica e outros; laboratórios de análises clínicas como responsável pela emissão de laudos técnicos; cosmetologia; farmácia hospitalar e homeopática.

Há um piso para a profissão, estabelecido pelo Conselho Regional de Farmárcia (CRF): R$ 1.690. No entanto, conforme o professor, os salários são um pouco melhores. O pagamento para profissionais em início de carreira gira em torno de R$ 2 mil.

É pra você? - Durante todo o curso, muita química e biologia estão presentes nas disciplinas. Por isso, não é nada mal se você já gostar destas matérias na escola. O professor da UnG ainda destaca que o aluno deve ter um forte espírito investigativo, já que vai trabalhar como um verdadeiro "detetive" na procura por novas descobertas para a cura de doenças.

O que vem por aí - Para Eloi Lago, uma das áreas mais promissoras dentro da Farmácia é a formação das equipes multidisciplinares de saúde. "Isso torna viável a colocação do farmacêutico inserido nesse contexto de saúde pública", comenta. "O SUS (Sistema Único de Saúde) aumentou a oferta de emprego ao profissional nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e em postos de saúde."

O diretor aposta também nas áreas da genômica e da biotecnologia para novos farmacêuticos. "Há um leque enorme de alternativas. O profissional farmacêutico com sua formação generalista atua também em áreas administrativas, gestão, empreendedorismo e consultoria", enumera.

Diferencial - Como na maioria das profissões, a realização de estágio é fundamental. "Isso aumenta a possibilidade de emprego nas indústrias", diz o coordenador da UnG.

"Cabe lembrar que o curso de Farmácia e o mercado de trabalho irão cobrar muita dedicação e estudo. O farmacêutico deve ser um profissional detentor de um vasto conhecimento", diz Lago. Por isso, também é importante que se dê seguimento à formação acadêmica com cursos de pós-graduação.

  • Imprima esta notícia
  • Envie esta notícia por e-mail

Busca

Busque outras notícias no Terra: