Fique de olho

Fique de olho

Sexta, 8 de agosto de 2008, 12h00 Atualizada às 11h16

Primeira macrometrópole pode aparecer na prova

Quem viaja entre São Paulo e Campinas não deixa de reparar que, ao longo do trajeto, nunca se pára de enxergar cidade: são bairros, fábricas, empresas, urbanização todo tempo. Pois a região foi classificada, recentemente, como a primeira macrometrópole do Hemisfério Sul.

» Terremotos na prova de geografia
» Lei Seca: redação e prova de química
» Mudança nos fusos pode gerar pegadinha

Macrometrópole é uma classificação urbana intermediária. Segundo o professor de geografia do Anglo Vestibulares Alexandre Rosa, é quando uma metrópole se junta a outra grande cidade através de uma conurbação. É maior do que uma metrópole, mas ainda não pode ser chamada de megalópole, explica Rosa: esta só se forma quando duas metrópoles se unem - no Brasil, só Rio de Janeiro "grudando" em São Paulo pela Via Dutra formaria uma megalópole.

No caso de São Paulo-Campinas, são 22 milhões de habitantes unidos pela macrometrópole, composta por 65 municípios. Mas do vestibulando dificilmente será exigido um conhecimento direto de um caso desses. Segundo Rosa, as formações urbanas aparecem nas provas em questões mais amplas.

Por exemplo, na prova da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) do ano passado, uma pergunta pedia explicações sobre os constantes engarrafamentos do trecho da BR-116 próximo a Porto Alegre. Pode até parecer que não tem nada a ver com o conteúdo de geografia, mas tem: os engarrafamentos são provocados pela conurbação desordenada de duas áreas muito povoadas - Porto Alegre e o Vale do Sinos. Assim, o trânsito de estrada, mais rápido, se misturava com tráfego local, mais lento, causando o engarrafamento na rodovia.

"Os examinadores querem que o aluno associe o conceito a algo do dia-a-dia", explica o professor. Assim, conceitos de capitais regionais também podem ser explorados, assim como linhas de pesquisa mais amplas, como as que tratam do conceito de cidade global - metrópoles como Nova York, Tóquio ou Londres, que exercem grande influência cultural, política ou econômica sobre outras. Ou seja, vale a pena tentar descobrir mais sobre aquela área toda urbanizada que você sem querer descobriu fuçando no Google Earth: dependendo, isso pode até cair no vestibular.

  • Imprima esta notícia
  • Envie esta notícia por e-mail

Busca

Busque outras notícias no Terra: