Guia de profissões


 
A B C D E F G H J L M N O P R
T
V

Turismo

"Gostar de viajar é importante, mas gostar de trabalhar é mais importante ainda." É assim que Fernanda Silva, diretora da Associação Brasileira de Profissionais em Turismo (ABPTUR), define as prioridades para quem pensa nessa profissão sonhando apenas em conhecer muitos países e, ainda por cima, ganhar dinheiro com isso.

Para fazer parte desta indústria, não é preciso se restringir às agências de viagens. Hotéis, restaurantes, eventos, consultorias e desenvolvimento de novas rotas são algumas das possibilidades para o bacharel (também conhecido como turismólogo).

Com duração média de três anos, os cursos de bacharelado em Turismo equilibram aulas práticas e teóricas. Além das disciplinas específicas da área, há aulas como administração e gestão de pessoas. Antes de escolher a faculdade, verifique se ela tem recursos que possibilitem vivenciar a profissão.

Mercado - A atuação do turismólogo se divide em três áreas principais:
- Planejamento turístico: desenvolver e organizar roteiros e atividades em municípios que querem explorar seu potencial turístico. O profissional pode trabalhar em secretarias municipais, estaduais e federais. Pode também prestar consultorias independentes em turismo cultural, turismo rural, ecoturismo, turismo de negócios, turismo de eventos, entre outros.
- Empresas do segmento: hotéis, agências de turismo, operadoras, transportes, eventos, companhias aéreas, parques temáticos e fazendas que recebem turistas.
- Rede de ensino: o turismólogo pode dar aulas em cursos técnicos e superiores de turismo, em treinamentos profissionalizantes e especializações. Para se destacar na área, a continuidade nos estudos é essencial. Ou seja: depois da faculdade tem a pós-graduação, o mestrado e até mesmo doutorado.

Como a profissão não é regulamentada, não há um piso salarial definido. O profissional iniciante pode ganhar de salário mínimo a R$ 2.000, em média, segundo a ABPTUR.

É pra você? - O Turismo pode ser uma boa opção para quem é dinâmico, criativo, comunicativo e gosta de se relacionar. Além disso, ter jogo de cintura e fluência em línguas estrangeiras é fundamental. Pense bem antes de decidir: muitas vezes, o profissional tem que abrir mão do lazer para atender os desejos e expectativas do cliente.

O que vem por aí - O ecoturismo tem se destacado devido às ofertas de destinos no Brasil e no mundo. Para quem optar em ficar nos grandes centros urbanos, a tendência é o turismo de eventos. Muitos estrangeiros desembarcam no País a trabalho. "Esse público gasta muito, movimenta toda a cadeia e exige uma melhoria na infra-estrutura", diz Fernanda Silva, diretora da ABPTUR.

Diferencial - Dá para aproveitar o período da faculdade para começar uma boa rede de relacionamentos: o segredo é participar de seminários, congressos e eventos. Passe um bom tempo na biblioteca, converse com professores, exija aulas práticas. Prepare-se para encarar outros cursos para complementar a formação. Se possível, procure estagiar em áreas diferentes.

  • Imprima esta notícia
  • Envie esta notícia por e-mail

Busca

Busque outras notícias no Terra: