Segredo de campeão

Segredo de campeão

Segunda, 9 de junho de 2008, 15h22 Atualizada às 15h22

Drible a inexperiência para conseguir um estágio

A diferença entre o currículo e uma folha em branco fica pequena para um estudante. E aí, na hora de procurar pela primeira oportunidade, vem aquela vontade de dar uma enfeitada básica para incrementar o currículo? Esqueça. Honestidade é palavra de ordem quando o assunto é entrevista para uma vaga de trainee, estágio ou mesmo de emprego.

Nada de malandragem e respostas evasivas: o segredo é abusar da objetividade e da transparência, ensina o economista gaúcho Luciano de Oliveira Baladão, que ultrapassou nada menos que 300 candidatos e conquistou uma das três vagas de trainee na área financeira do grupo português Sonae, em 2003. Graças aos esforços do então recém-formado, a fase de trainee, que era para ter durado seis meses, foi abreviada para três meses e hoje o profissional integra a equipe do setor financeiro do Wal-Mart, que adquiriu as operações e varejo do Sonae no Brasil.

Para o economista, a entrevista foi decisiva, e foi a oportunidade de mostrar que tinha o perfil certo para a empresa. Dentro da pouca experiência, destacou-se o período em que esteve nos Estados Unidos, onde fez um curso na área de administração e trabalhou como garçom. "Eles buscavam pessoas diferentes do grupo que lá trabalhava. Queriam profissionais que criticassem, sem arrogância, é claro, pois buscavam novas percepções sobre o negócio", conta. Para ele, isso foi fundamental para ter seu nome escolhido. "Na hora da entrevista, não adianta ser o melhor. Mais vale estar de acordo com a necessidade da empresa", diz.

Outra sacada foi a vontade de facilitar a vida da pessoa que fazia a seleção dos candidatos. Como o entrevistador chegou atrasado de viagem, o que atrasou todas as entrevistas, Luciano, ao ser solicitado para contar suas experiências de vida, foi breve e objetivo. Questionado se era ansioso, respondeu que não, mas que queria ajudar o entrevistador a ganhar tempo, já que a viagem de volta estava marcada para o mesmo dia e ele tinha pressa. Aqui, ponto para ele, que além de não desperdiçar o tempo do entrevistador, mostrou que é observador.

Outra sugestão importante é antes e durante o processo seletivo, buscar o maior número de informações sobre o local em que se pretende trabalhar. Dessa forma, o candidato vai saber melhor o que a empresa espera dele, afirma o consultor de gestão empresarial Edison Guella. Conhecimento, habilidade e atitude, que o consultor sintetiza na sigla CHA, são algumas qualidades fundamentais na hora da disputa.

A atitude é a pré-disposição que a pessoa tem para fazer as coisas. "A iniciativa é fundamental para quem quer se colocar no mercado", avisa. O conhecimento é outro ponto fundamental, seja de informática, seja através de uma viagem ou um idioma.

Mas não adianta empilhar certificados na frente do entrevistador: é preciso ter real domínio do que você promete. Se seu currículo diz que você domina inglês, prepare-se para ser testado.

E lembre-se: mesmo consideradas de baixa relevância, algumas habilidades - dependendo do cargo pretendido ¿ são importantes. Para uma vaga na área de publicidade, recortes com tesoura ou domínio de um instrumento musical podem ser um bom diferencial, mostrando que o candidato tem potencial criativo.

  • Imprima esta notícia
  • Envie esta notícia por e-mail

Busca

Busque outras notícias no Terra: