vc repórter
 
 

Notícias » Notícias

 vc repórter: imagem do século 17 é furtada de capela em SP
14 de março de 2012 20h55 atualizado às 21h09

Imagem pertencia à capela localizada na comunidade Quilombola, no bairro do Carmo, em São Roque. Foto: Marcelo Roque Redeling/vc repórter

Imagem pertencia à capela localizada na comunidade Quilombola, no bairro do Carmo, em São Roque
Foto: Marcelo Roque Redeling/vc repórter

Uma imagem de Nossa Senhora do Carmo foi furtada de uma capela da comunidade Quilombola em São Roque, a cerca de 60 km de São Paulo, na noite dessa terça-feira, 13. A estátua foi fabricada no século 17. A capela fica no bairro do Carmo, em rua que tem o mesmo nome da santa.

De acordo com a Polícia Militar, ainda não há suspeitos e não se sabe como a imagem foi furtada. No entanto a janela da capela foi encontrada aberta e a porta dos fundos tinha a fechadura estourada. O furto foi descoberto na manhã desta quarta-feira, quando o local começou a receber fiéis.

A antropóloga e pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP), Rebeca Campos, trabalha na comunidade e foi uma das responsáveis por denunciar o furto, caracterizado como crime federal por se tratar de um patrimônio histórico cultural tombado. Em contato com o Terra, Rebeca explicou a importância que a santa tem para a comunidade.

"Além do valor histórico, remete à memória local e à origem da comunidade. É como se fosse a mãe, a base e a estrutura de tudo", afirmou a antropóloga, que trabalha há 5 anos na comunidade.

Rebeca acredita que o crime não tenha sido praticado por um colecionador e nem mesmo por um "ladrão comum". "Eles não descartaram essas possibilidades, mas se outras obras dentro da comunidade fossem roubadas poderia ter sido um colecionador. E se o cofre fosse roubado poderia ser um ladrão comum, mas o cofre estava intacto", disse.

Há anos, a comunidade Quilombola era proprietária de muitas terras na região de São Roque, mas com o passar do tempo foi perdendo essas posses por diversos motivos. Porém, atualmente, reivindica na Justiça esses bens e, segundo a pesquisadora da USP, tem grandes chances de retomar boa parte deles.

"É um momento complicado porque o furto é indicativo de algo que esteja além da própria imagem. Acredito que tenha sido um aviso por conta dessa reivindicação de terras", disse Rebeca.

Ainda tentando ajudar nas investigações, a antropóloga afirmou que seria impossível apenas uma pessoa furtar a imagem, já que a santa pesa cerca de 30 kg e mede 60 cm.

O internauta Marcelo Roque Redeling, de São Roque (SP), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui.

vc repórter
vc repórter
  1. Imagem de Nossa Senhora do Carmo foi furtada de uma capela da comunidade Quilombola, em São Roque, interior de São Paulo

    vc repórter
    Foto: Marcelo Roque Redeling/vc repórter

  2. O furto ocorreu na noite de terça-feira, dia 13

    vc repórter
    Foto: Marcelo Roque Redeling/vc repórter

  3. A capela fica no bairro do Carmo, em rua que tem o mesmo nome da santa

    vc repórter
    Foto: Marcelo Roque Redeling/vc repórter

  4. De acordo com a Polícia Militar, a janela da capela foi encontrada aberta e a porta dos fundos tinha a fechadura estourada na manhã desta quarta-feira; a imagem havia sido fabricada no século 17

    vc repórter
    Foto: Marcelo Roque Redeling/vc repórter

  5. Ainda não há suspeitos; a imagem da santa pesa cerca de 30 kg e mede 60 cm

    vc repórter
    Foto: Marcelo Roque Redeling/vc repórter

/vcreporter/foto/0,,00.html