inclusão de arquivo javascript

Trânsito

 
 

ES: rodoviários voltam ao trabalho, mas prometem nova paralisação

28 de junho de 2010 17h10 atualizado às 23h28

Funcionários do Transporte Público fizeram paralisação. Foto: Eliana Gorritti/Especial para Terra

Funcionários do Transporte Público fizeram paralisação
Foto: Eliana Gorritti/Especial para Terra

Motoristas e cobradores de ônibus voltaram ao trabalho, no início da tarde desta segunda-feira, após uma manhã de transtornos no trânsito da cidade de Vila Velha, a 12 km de Vitória (ES), provocada por uma paralisação surpresa promovida pelo Sindicato dos Rodoviários. No entanto, a categoria ameaça iniciar uma nova greve geral na terça-feira que, segundo o sindicato, paralisaria toda a região metropolitana.

» Veja fotos da paralisação do transporte coletivo no ES
» ES: greve prejudica transporte coletivo na Grande Vitória
» Siga Terra Notícias no Twitter

O presidente interino do Sindicato dos Rodoviários do Espírito Santo (Sindirodoviários), Alessandro Vieira, afirmou que a paralisação dos ônibus, que começou na madrugada desta segunda, foi a "forma encontrada para a categoria se manifestar sobre uma ação de representatividade da categoria". Vieira se refere a uma ação que corre na Justiça do Trabalho, onde dois sindicatos - o Sindirodoviários e o Sintrovig - disputam o direito de representar os trabalhadores. "Depois da assembleia vamos decidir se vai ter 'blecaute' no transporte da grande Vitória", afirmou o presidente.

A manifestação teve início às 4h, com piquetes na porta das empresas San Remo e Praia Sol, de Vila Velha, Metropolitana, Santa Zita e Viação Nova, o que comprometeu, além do transporte na cidade, algumas linhas que ligam o município ao restante da região metropolitana. A estimativa é de que 125 mil usuários tenham sido prejudicados pela paralisação. Muitos deles tiveram as viagens interrompidas por conta da greve e não conseguiram chegar ao trabalho.

A vendedora Letícia Souza, 19 anos, estava inconformada. "Ninguém nos avisou dessa greve. Cheguei ao terminal e não tinha ônibus para seguir viagem. Eu paguei passagem integral e fiquei no prejuízo. Além disso, cheguei atrasada no trabalho", disse.

Congestionamento
O aumento do número de automóveis nas ruas e a diminuição do espaço de circulação em várias vias por causa dos ônibus estacionados pelos grevistas gerou caos e grandes congestionamentos em toda a região metropolitana. Todos os acessos à capital ficaram engarrafados. Um trajeto de Vila Velha a Vitória, feito normalmente em 15 minutos de carro, levou mais de uma hora nesta segunda-feira.

O professor Sebastião Cunha Pontes, 56 anos, estava irritado com a confusão causada pelos rodoviários. "Isso não é certo. Pelo que ouvi, é uma briga de sindicatos. Nós não temos nada com isso. Onde estão as autoridades nessa hora, para coibir esse tipo de arbitrariedade?", afirmou.

Especial para Terra