inclusão de arquivo javascript

Trânsito

 
 

Caminhão quebra e atrapalha 1º dia do Trecho Sul do Rodoanel

01 de abril de 2010 06h01 atualizado às 10h08

Obra deve ajudar a reordenar o tráfego na região. Foto: Milton Michida/Divulgação

Obra deve ajudar a reordenar o tráfego na região
Foto: Milton Michida/Divulgação

Apesar da liberação do trânsito de veículos no Trecho Sul do Rodoanel, que deveria desafogar o tráfego em São Paulo, a avenida dos Bandeirantes - uma das que seria mais beneficiadas com a inauguração - enfrentou um início de manhã de fluxo lento nesta quinta-feira. Um caminhão quebrado ocupou uma faixa da via na altura do viaduto João Julião da Costa Aguiar, no sentido Marginal Pinheiros. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego, o problema foi registrado às 8h30 e a faixa foi liberada às 8h49. Contudo, a CET afirma que, às 9h50, a lentidão era de 3,6 km na via - da Marginal Pinheiros até a alameda Tupiniquins.

» CORREÇÃO: Caminhão quebra e atrapalha trecho sul do Rodoanel
» Veja fotos do Rodoanel
» Veja infográfico do Trecho Sul do Rodoanel
» Acompanhe o trânsito em tempo real
» Operários varam noite antes de Serra inaugurar Rodoanel
» Após protesto de professores, operários defendem Serra
» SP: prefeitura decide em 90 dias se veta caminhões em avenida
» Professores protestam durante discurso de Serra no Rodoanel

Mais cedo, outro caminhão quebrado ocupou a faixa da direita da via na altura da alameda do Tupinas, no sentido Imigrantes. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego, o problema foi registrado às 6h19 e a faixa foi liberada às 7h55. Contudo, a lentidão chegou a tomar conta da avenida no sentido da Imigrantes e se estendeu até as pistas da Marginal Pinheiros.

O Rodoanel Mario Covas, em São Paulo, cujo Trecho Sul foi aberto ao trânsito nesta quinta-feira, deve reordenar o transporte de veículos de cargas da região metropolitana, facilitando o escoamento até o Porto de Santos sem passar pela capital. Apenas nos 61,4 km do Trecho Sul, cerca de 16,5 mil caminhões e 55,5 mil veículos de passeio devem passar por dia.

Com isso, segundo a Secretaria de Transportes, deve haver uma queda de 37% no número de caminhões na avenida dos Bandeirantes e de 43% na Marginal Pinheiros. Esse remanejamento do trânsito também deve diminuir em 6% a emissão de gases poluentes na região metropolitana. Com a inauguração da obra, o motorista deve gastar 58 minutos para percorrer os 93,4 km dos trechos oeste e sul do Rodoanel.

Nesta manhã, durante a abertura para veículos, alguns ajustes finais, como demarcações de pistas, ainda eram feitos em alguns trechos. Um comboio liderado pelo vice-governador do Estado, Alberto Goldman, que dirigiu seu próprio carro, percorreu a região liberada para o trânsito.

O Trecho Sul do Rodoanel irá interligar as rodovias Anchieta e Imigrantes, além da região do ABC, às rodovias Bandeirantes, Anhanguera, Castello Branco, Raposo Tavares e Régis Bittencourt, que já estavam interligadas pelo Trecho Oeste desde outubro de 2002.

O novo trecho do Rodoanel termina em Mauá, próximo à avenida Papa João XXIII. Futuramente, esta avenida, que está sendo duplicada, será interligada à Jacu-Pêssego.

Quando o Complexo Jacu-Pêssego for finalizado, o que está previsto para o segundo semestre, ele deve facilitar o escoamento em vias como a avenida do Estado, as rodovias Ayrton Senna e Dutra e Aeroporto de Cumbica, dando mais uma alternativa para moradores da zona leste.

O Trecho Sul tem três faixas em cada sentido da Régis até Imigrantes e quatro da rodovia Imigrantes até a Anchieta. Cada faixa tem 3,6 m de largura. Há também uma faixa de segurança de 1 m, acostamentos de 3 m e um canteiro central gramado de 11 m de largura.

O obra teve investimento de R$ 5 bilhões, sendo R$ 3,2 bilhões referentes às obras brutas e o restante R$ 1,8 bilhão destinados às compensações ambientais, desapropriações, reassentamentos e interferências.

Redação Terra