inclusão de arquivo javascript

Trânsito

 
 

Quatro estudantes morrem em acidente com van escolar no Rio

01 de julho de 2009 14h18 atualizado às 17h55

Uma van escolar bateu na traseira de um reboque da Coordenadoria de Vias Especiais da prefeitura do Rio de Janeiro, no início da tarde desta quarta-feira, na Linha Vermelha, sentido Baixada Fluminense. Quatro estudantes morreram, de acordo com a Gerência de Vias Especiais. Seis crianças e o motorista ficaram feridos.

Morreram no acidente Raiane da Silva Souza, 14 anos, Vinícius Lopes da Silva, 11 anos, Esther Reis Fernandes da Rocha, 8 anos, e André Lucas Couto Teles, 7 anos. Ficaram feridos Gabriele Moraes Santos Silva, 10 anos, Pedro Henrique Santos Silva, 10 anos, Taissa Cristine Siqueira Lima, 9 anos, Mateus Couto Teles, 8 anos, e Maria Clara Soares Oliveira, 7 anos.

Uma das crianças ficou em estado grave, com múltiplas fraturas, e teve de ser socorrida pelo helicóptero do Corpo de Bombeiros, que pousou na pista para fazer o resgate, para o hospital Miguel Couto, no Leblon. A jovem não teve o nome divulgado. Os outros cinco estudantes e o motorista foram levados ao hospital de Saracuruna, na Baixada Fluminense. O condutor, identificado como Carlos Alberto, foi liberado.

Devido à operação de resgate, o congestionamento na via expressa da Linha Vermelha, que liga o centro da cidade à Baixada Fluminense, era de aproximadamente 12 km e chegava ao centro da capital às 17h10. No outro sentido, há retenções causadas por curiosos que param para observar a movimentação. No mesmo horário, os corpos continuavam na via para que fosse feita a perícia. A via, contudo, no mesmo horário, já havia estava liberada.

O colégio Pedro II decretou luto e hasteou bandeira a meio pau. A instituição enviou uma equipe composta por assistentes sociais para auxiliar as famílias dos estudantes.

Van irregular
Segundo o major José Mauro de Farias, diretor da gerência de vias especiais da prefeitura do Rio, a van estava irregular. O veículo, que transportava alunos do colégio Pedro II, unidade São Cristovão, teria sido fechado pela esquerda e colidiu contra um reboque que atendia outra van no local.

Segundo a delegada Leila Goulart, da 37ª Delegacia de Polícia (Ilha do Governador), o caso será registrado como homicídio culposo. Se for comprovado que a van era irregular, o motorista deverá ser indiciado ainda por exercício ilegal da profissão. Leila afirmou que pretende colher o depoimento dos motoristas da van e do reboque ainda hoje.

O major orientou os motoristas que saem do centro a evitar os acessos da Linha Vermelha no sentido Baixada.

Redação Terra