NotíciasRetrospectiva 2007Economia

 

Economia

Petrobras anuncia reserva gigante de petróleo

Divulgação Em 8 de novembro, a Petrobras anunciou reservas de petroléo e gás no campo de Tupi Em 8 de novembro, a Petrobras anunciou reservas de petroléo e gás no campo de Tupi

No dia 8 de novembro, a Petrobras anunciou a descoberta da maior reserva de petróleo no País, entre 5 e 8 bilhões de barris, no campo de Tupi, localizado na bacia de Santos. Mais que ganhos para a empresa, a notícia repercutiu no mundo como uma possibilidade de alavancar o poder de barganha do País no cenário internacional, com a chance inclusive de participação na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

» Veja foto ampliada do local
» Petrobras anuncia reserva de até 8 bilhões de barris na bacia de Santos
» Dilma: descoberta pode transformar País em exportador de petróleo
» Petróleo mostra que 'Deus pode ser brasileiro', diz 'Economist'

O anúncio ocorreu uma semana após a "crise do gás", deflagrada no Rio de Janeiro e em São Paulo após um corte parcial do combustível porque a Petrobras precisou redirecionar parte do produto que fornecia para distribuidoras e postos de gasolina nestes Estados para alimentar usinas termelétricas.

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou, no dia do anúncio da reserva, que o País mudará de posição no setor de exploração de petróleo com a descoberta. "Estávamos tratando toda essa questão da indústria do petróleo no Brasil dentro de uma dimensão mais reduzida. Éramos simplesmente um país que buscava auto-suficiência. Uma reserva dessas transforma o Brasil em exportador de petróleo", disse Dilma.

A ministra confirmou, ainda, que a reserva muda a realidade do País. "Poderemos passar para um outro patamar, onde estão os países árabes, a Venezuela e demais exportadores", completou. A reserva em Tupi é uma das maiores descobertas em todo o mundo nos últimos 20 anos.

No mesmo dia do anúncio da descoberta, as ações da empresa na Bovespa fecharam em alta de 14%, e a companhia teve seu valor de mercado avaliado em R$ 385 bilhões, deixando para trás a Vale do Rio Doce, com valor de R$ 291 bilhões.

Grandes desafios relacionados a custos e a questões técnicas aguardam a Petrobras no caminho para o desenvolvimento da jazida gigante de petróleo e gás de Tupi, principalmente em virtude da profundidade em que se encontra o óleo. A empresa espera ter em funcionamento até 2011 um projeto-piloto para a extração diária de 100 mil barris do campo Tupi, para até 2013 levar outras plataformas e ampliar a produção para 400 mil barris diários.

Mas analistas dizem que esse cronograma é bastante otimista, especialmente diante dos atrasos da Petrobras nos últimos anos no começo de grandes projetos. Antes de produzir abaixo de uma camada de sal a 6 mil metros de profundidade, a Petrobras ainda teria que coletar grandes quantidades de dados sobre o fluxo do reservatório e, então, enfrentaria o triplo dos custos para um poço na comparação com perfurações em campos normais e acima do sal.

Analistas dizem que o custoso desenvolvimento desses poços levaria pelo menos seis ou sete anos e que, em breve, a euforia deve dar lugar a um debate no governo sobre a conveniência de exportar esse combustível ou de preservar as reservas para as futuras necessidades internas.

"Esse excesso de oferta depende da economia brasileira. O consumo per capita é muito pequeno, então, se o crescimento econômico explodir, podemos ter um sério crescimento no consumo de derivados de petróleo", disse Mauro Andrade, da Deloitte-Touche Tohmatsu.

Economistas afirmam que o Brasil só tem petróleo excedente porque teve uma das menores taxas de crescimento dos últimos 20 anos na América Latina. Agora, porém, a economia vem se acelerando, e o governo espera anos de expansão robusta pela frente.

Nona rodada
No mesmo dia em que anunciou a descoberta do campo de Tupi, o ministro interino de Minas e Energia, Nelson Hubner, anunciou que o governo retiraria da nona rodada de licitações de blocos de petróleo e gás os relacionados a possíveis reservatórios da área pré-sal nas bacias de Espírito Santo, Campos e Santos.

Segundo resolução do CNPE (Conselho Nacional de Política Energética), o governo retira da nona rodada 41 blocos de áreas de elevado potencial de petróleo e gás. Ainda assim, 271 blocos foram mantidos para o leilão ocorrido em 27 de novembro.

"É a preservação da soberania do País", acrescentou a ministra-chefe da Casa Civil.

A atitude fez a BusinessWeek comparar o Brasil com a Venezuela de Hugo Chávez. Segundo a revista norte-americana, a descoberta do petróleo no campo de Tupi está mudando a maneira como os brasileiros pensam a respeito de suas riquezas . A publicação citou que ela pode colocar em prática um tipo de "nacionalismo do petróleo" que começou na Venezuela, com Chávez expropriando reservas e infra-estrutura de empresas como ExxonMobil e Chevron.

Deus
A revista britânica The Economist também comentou a descoberta do campo de petróleo de Tupi, num país já farto em recursos naturais, afirmando, com ironia, que "Deus pode mesmo ser brasileiro, afinal".

"As florestas do Brasil são maiores do que as de qualquer outro. Seu solo é tão fértil que algumas árvores chegam à plena maturidade mais rápido do que as pessoas. Debaixo de seu solo há enormes depósitos minerais que são a matéria prima para o crescimento chinês de dois dígitos. O Brasil já está no caminho para se tornar uma superpotência da energia alternativa", listou a revista.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi na mesma linha da revista e declarou que "Deus é brasileiro" no dia 20 de novembro, durante a assinatura de um protocolo de intenções, em Brasília, entre a Companhia Vale do Rio Doce e a empresa coreana Dongkuk Steel Mill para a construção, até 2010, de uma siderúrgica no distrito de Pecém, no Ceará.

"Eu tenho dito sempre, desde a descoberta da Petrobras, que está ficando provado que Deus é brasileiro", disse Lula, ao desejar que Deus permitisse que ele inaugurasse a nova usina, que terá sua produção movida por um auto-forno de carvão, até o final de seu mandato.

Redação Terra