Minas Gerais

Notícias por email

Minas Gerais

Segunda, 1 de janeiro de 2007, 18h27 

MG: segundo mandato será melhor, diz Aécio

Ney Rubens
Direto de Belo Horizonte
Omar Freire/Divulgação

Aécio assina posse do segundo mandato
Busca
Saiba mais na Internet sobre:
Faça sua pesquisa na Internet:

Em discurso de posse do seu segundo mandato, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse ao público presente que política se faz com ética e não apenas com discurso e promessa. A solenidade, que marca o início da nova gestão, também teve momentos de muita festa e emoção.

» Veja mais fotos da posse

Em discurso de posse do seu segundo mandato, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse ao público presente que política se faz com ética e não apenas com discurso e promessa. A solenidade, que marca o início da nova gestão, também teve momentos de muita festa e emoção.

Na ocasião, Aécio também enfatizou as realizações dos últimos quatro anos de governo. "Agora estamos num patamar ótimo para fazer um segundo mandato cheio de realizações", destacou.

Aécio chegou por volta das 16h30 à Assembléia Legislativa do Estado num Rolls Royce ano 1953 para a cerimônia. Ele estava acompanhado da filha Gabriela, 15 anos. O veículo foi fornecido por um colecionador.

O governador saiu do Palácio das Mangabeiras ¿ residência oficial do governo mineiro ¿ para a sede do Legislativo mineiro. Depois, foi empossado junto com o vice Antônio Augusto Anastasia (PSDB). Telões do lado de fora transmitiam a posse do lado de fora da Assembléia.

Depois do discurso na Assembléia, Aécio voltou com o mesmo Rolls Royce e se dirigiu para o Palácio da Liberdade ¿ sede administrativa do governo. No veículo, desfilou pelas principais avenidas de Belo Horizonte.

Ao final do percurso, o governador foi recebido pela guarda de honra da Polícia Militar. Caminhou sozinho em revista à tropa. Em seguida, se deslocou numa passarela com o tapete vermelho e palmeiras imperiais, montado especialmente para sua passagem em direção ao Palácio da Liberdade.

Ponto Alto
O ponto alto da festa aconteceu quando o governador era acompanhado por um trompetista da banda da Polícia Militar, que executava a música "Oh Minas Gerais". Emocionado, repetiu o gesto do avô, o ex-presidente Tancredo Neves, feito em 1982, quando se curvou e reverenciou a bandeira do Estado.

Após entrar no Palácio da Liberdade, Aécio apareceu na sacada e acenou para os convidados. Fez um outro discurso de dez minutos. Outra vez, agiu igual ao avô. "O primeiro compromisso com Minas é com a liberdade", discursou.

À noite, o governador participa de uma festa reservada no Palácio da Liberdade com 1,2 mil convidados. Segundo a assessoria de imprensa do governo mineiro, a festa de posse custou cerca de R$ 200 mil.

Redação Terra