China tenta consertar mentira sobre Muralha

12 de março de 2004 • 09h56 • atualizado às 09h56

Por décadas, os chineses têm disseminado o mito de que a sua mais famosa construção, a Muralha da China, é visível do espaço. Até hoje, livros escolares afirmam que a estrutura pode ser vista a olho nu por um astronauta em órbita.

Estes livros agora serão reescritos depois que o primeiro homem chinês no espaço, Yang Liwei, revelou o engano ao retornar de uma órbita ao redor da terra no ano passado. Yang relatou que não pôde ver a muralha, como informa hoje o jornal Beijing Times.

O responsável pelo material escolar no ministério da Educação chinês afirmou que os editores de livros foram informados que deviam parar de imprimir as edições que contêm a mentira. "O fato de termos este mito impresso nos livros escolares de nossos estudantes é a principal razão deste engano ter sido tão disseminado", disse o oficial.

A Muralha da China atravessa o norte da China com centenas de quilômetros de extensão.

AP - Copyright 2007 Associated Press. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »