Homem gasta tudo após diagnóstico de morte errado

07 de maio de 2007 • 13h12 • atualizado às 17h30

Um homem britânico que caiu numa selvagem farra de gastanças depois que médicos disseram que ele tinha pouco tempo de vida exige uma indenização pois seu diagnóstico estava errado e agora ele está saudável, mas falido.

John Brandrick, 62 anos, foi diagnosticado com câncer no pâncreas há dois anos e foi avisado que provavelmente morreria dentro de um ano.

Ele largou seu emprego, vendeu ou deu quase todos os seus bens, parou de pagar sua hipoteca e gastou suas economias jantando fora e tirando férias.

Brandrick ficou com pouco mais do que um terno preto, camisa branca e uma gravata vermelha, com os quais pretendia ser enterrado, quando descobriu um ano depois que seu suposto "tumor" não era nada mais do que uma simples inflamação no pâncreas.

"Quando dizem que você tem um tempo limitado e tudo, você realmente aproveita a vida", disse Brandrick, de Cornwall no oeste da Inglaterra, à Sky television.

"Estou muito contente de ter tido uma segunda chance na vida mas se você não tem nenhum dinheiro depois de tudo isso, o que é minha culpa - eu gastei tudo - eles deveriam me pagar alguma coisa."

Se não conseguir nenhuma compensação, ele considera vender sua casa ou processar o hospital que fez seu diagnóstico. O hospital afirmou que embora compreenda os sentimentos de Brandrick, uma revisão de seu caso mostrou que nenhum diagnóstico diferente teria sido feito.

Reuters - Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »