Homem justifica falta com atestado de ginecologista

28 de novembro de 2006 • 12h03 • atualizado às 13h51

Um sul-africano de 27 anos foi multado em 1 mil randes (US$ 137) por apresentar a seus chefes um atestado médico falsificado emitido por um ginecologista, depois de faltar ao trabalho por uma semana, informou hoje a imprensa local.

Segundo o site News24, Charles Sibindana roubou um atestado de um centro clínico na cidade de Vereeniging, a 70 quilômetros ao sul de Pretória, a capital sul-africana, durante uma consulta médica de sua namorada, que está grávida.

O jovem, que não ia trabalhar há sete dias, falsificou os dados, mudou alguns detalhes e enviou o atestado aos seus superiores. "Seus empregadores - diz a notícia - suspeitaram porque ele era um homem, não uma mulher grávida, e decidiram averiguar".

O juiz de Vereeniging, Bruno van Eeden, advertiu Sibindana para que "não ande por aí com atestados médicos falsos de ginecologistas" porque ele não estava "grávido". Sibindana foi obrigado a pagar metade do dinheiro e a outra metade foi suspensa pelo juíz, mediante a condição de que não cometesse outro crime durante os próximos cinco anos.

EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »