Dona de maior silicone do Brasil aumentará seios

02 de março de 2007 • 16h05 • atualizado em 03 de março de 2007 às 15h59
Modelo Sheyla de Almeida posa para fotografia Foto: Eliana Gorritti/Especial para Terra
Modelo Sheyla de Almeida posa para fotografia
02 de março de 2007
Foto: Eliana Gorritti/Especial para Terra

Eliana Gorritti
Direto de Vitória

Brasil


A mulher dona dos maiores seios siliconados do Brasil passará por uma nova cirurgia. A operação da modelo capixaba Sheyla de Almeida, 27 anos, será realizada no Espírito Santo. Com a nova prótese, cada seio passará do volume de 1,2 l para 2,5 l. E, se for possível, ela ainda pretende chegar aos 2,8 l em cada seio.

» Veja mais fotos da modelo
» Capixaba é sondada para filme pornô
» Siliconada revela suas fantasias
» Modelo tem maiores seios com silicone

O cirurgião plástico Elias Kuster vai ser o responsável pela realização de mais um sonho da siliconada. "Vou trocar a prótese de hidrogel que ela tem por uma de solução salina, francesa, que não pesa tanto e aumenta bem o volume", explicou o médico.

A cirurgia deve acontecer na metade do ano. "Queria que fosse hoje. Com as novas próteses, eu posso chegar ao tamanho que eu quiser. Quero aumentar os seios de três em três meses", sonha a modelo. Isso seria feito através de injeções graduais de líquido, com incisões pequenas e bem menos invasivas do que troca de prótese. A possibilidade de essa prática ser usada, porém, dependerá de como o corpo de Sheyla vai reagir ao aumento de volume dos seios.

"Ela tem uma ótima estrutura óssea e muscular. Além disso, tem um bom preparo físico e uma boa postura. A pele dela também é bem grossa, tipo uma borracha mesmo, por isso ela suporta o peso dos seios. Mas não tenho intenção de colocar um volume exagerado", afirmou o cirurgião plástico.

O médico disse que a cirurgia será a última que ele vai realizar em Sheyla e que já está tentando convencê-la a não aumentar mais o volume do silicone depois. "Se ela não desistir, vou levá-la à Igreja pra ver se ela muda de idéia", brincou.

E esse é só mais um passo em busca do objetivo da modelo. Com a mudança, Sheyla pretende chegar mais perto da recordista da América Latina. A principal rival da capixaba é a argentina Sabrina Sabrok, que tem 3,5 l em cada mama e detém o título do continente. "Agora estou decidida. Eu sou a maior do Brasil e quero bater o recorde dela", disse.

Quer saber se a modelo está assustada com o tamanho e o peso dos novos seios? "Agüentar, eu aguento até um milhão. Amo seios fartos", assegurou. E Sheyla garantiu também que não tem medo, nem está preocupada com as críticas que pode receber. "Eu não tenho medo que as pessoas achem minhas mamas bizarras. O importante é eu me sentir feliz e realizada."

Apoio do noivo
O noivo de Sheyla, um engenheiro eletrônico inglês, continua apoiando a modelo. "Ele quer que eu faça porque é um sonho meu. O nosso casamento continua mantido. Espero me casar em maio em Las Vegas, nos Estados Unidos. Já estamos programando uma noite especial para as novas mamas, mal posso esperar", disse Mark Wall.

O casal não se vê há cinco meses, mas ele garantiu que está feliz com a futura mudança. "Só vi os seios dela pelas fotos e pela webcâmera. Eles estão maravilhosos, mas com 2,8 l também ficarão lindos. Mas não gostaria que ela aumentasse mais do que isso", afirmou.

Uma das principais preocupações do noivo é com a saúde da modelo. "Enquanto ela não estiver com dor na coluna e mantiver a saúde perfeita, eu a apoio. Mas se virar uma obsessão, aí ela não terá mais o meu apoio", garantiu.

Dificuldade com roupas
A cintura fina e os seios fartos trazem alguns problemas para a modelo na hora de encontrar blusas. "Tenho que mandar fazer a maioria das minhas roupas", confidenciou. Mesmo assim, ela não se arrependeu das sucessivas mudanças. "Vivo maravilhosamente bem. É o máximo ter os peitos grandes, me sinto a Grace Kelly."

Na opinião dela, problema mesmo é com a balança. A cada nova troca de silicone, o peso aumenta. "Hoje eu peso 54 quilos, quatro quilos só de próteses", revelou.

Sheyla disse que se preocupa com a saúde e, antes da última troca de silicone, ela se submeteu a uma mamografia. "Fiz antes de colocar essas novas mamas. Foi uma das primeiras coisas que meu médico pediu."

A modelo tem um filho de 7 anos e não pretende engravidar outra vez. "Futuramente, eu gostaria de adotar uma menina, para ter um casal de crianças. Neste momento, quero continuar as minhas cirurgias, não posso sonhar em ter filhos", afirmou.

Uma nova lipoaspiração está marcada para o dia 19 de março. "Vou fazer no corpo todo. Quero estar bem sequinha. Também voltei a malhar com um personal trainer e pretendo melhorar 100% o meu corpo". Aos 27 anos, ela já tem medo de rugas e se previne. "Apliquei botox no rosto", admitiu.

Com as duas cirurgias que estão para vir, passará para 17 o número de procedimentos médicos aos quais ela já se submeteu em nome da beleza. Só no mês passado, fez preenchimento no rosto e bioplastia no nariz. "Eu já fiz lipo, abdomeplastia, coloquei silicone no bumbum, fiz cinco cirugias de mama, retirada de duas costelas e rinoplastia", listou.

Sonho de US$ 30 mil
Sheyla diz que gastou em torno de US$ 30 mil em cirurgias, incluindo nesse valor também as duas intervenções que estão por vir: a troca da prótese e a lipoaspiração. Ela conta que seu noivo pagou boa parte das cirurgias e ela pagou outras com o dinheiro ganho trabalhando como modelo.

Sheyla tem 1,58 m de altura e pesa 54 kg. Tem 60 cm de cintura, 99 cm de quadril e 125 cm de busto. O número de sutiã é o 58. Como ela se sente depois de tantas cirurgias? "Ótima. A cada dia me sinto melhor", finalizou.

Redação Terra
 
Enviar para amigos
Fechar por:
Enviar para amigos
Fechar por:

Imprimir

Fechar
Mais vistos

Notícias

  1. Carregando...
leia mais notícias »