inclusão de arquivo javascript

 
 

Guns N'Roses deslumbram 50 mil fãs em show no Paraguai

16 de outubro de 2011 03h31 atualizado às 04h30

Como já é característico, Axl atrasou duas horas para começar o show. Foto: EFE

Como já é característico, Axl atrasou duas horas para começar o show
Foto: EFE

A lendária banda americana Guns N'Roses enfeitiçou na madrugada deste domingo no Paraguai mais de 50 mil fãs ávidos de rock durante seu primeiro, único e apoteótico show no país.

O espetáculo começou depois de meia-noite com Axl Rose vestido com uma jaqueta preta, luvas do mesmo tom, calças e chapéu texanos, no meio da euforia de seu público, que sete horas antes formou fila para assegurar os melhores lugares no Jóquei Club Paraguaio.

A isso é preciso somar as duas horas de atraso de Axl, que foi levado de helicóptero do aeroporto internacional Silvio Pettirossi após chegar em um voo privado de Buenos Aires, onde o grupo tinha atuado anteriormente.

Os demais membros da banda chegaram à capital paraguaia três dias antes e até conversaram com fãs durante um percurso pela região central de Assunção.

O repertório incluiu uma mistura de músicas do último disco Chinese Democracy(2008), que leva o nome da música que abriu o show, com os sucessos do primeiro álbum, Appetite for Destruction (1987).

Axl, o único integrante da banda original, dividiu o palco com Dizzy Reed (teclados), Chris Pitman (teclados), Tommy Stinson (baixo), Richard Fortus (guitarra), DJ Ashba (guitarra), Ron "Bumblefoot" Thal (guitarra) e Frank Ferrer (bateria).

A presença do Guns N'Roses em Assunção, destino pouco comum para este tipo de espetáculo, abriu o Personal Rock Festival, que terminará com o Aerosmith no próximo dia 25, no mesmo palco.

Os organizadores venderam pacotes de entradas para esses dois espetáculos com várias semanas de antecipação e milhares de pessoas chegaram de países vizinhos para ver Axl, cujas exigências foram cumpridas com todo rigor.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.