inclusão de arquivo javascript

 
 

Jorginho Paulista deve voltar ao São Paulo contra o Paysandu

23 de abril de 2003 20h12

São Paulo - O lateral-esquerdo Jorginho Paulista deve mesmo voltar a vestir a camisa do São Paulo de forma oficial neste domingo. Cinco meses após sofrer uma lesão no tornozelo, o jogador participou normalmente do treino coletivo realizado na tarde desta quarta-feira, no CCT da Barra Funda.

Jorginho, que passou por uma cirurgia na qual os médicos colocaram uma placa de titânio e seis parafuso no local fraturado, não sentiu dores e deverá substituir o suspenso Fabiano no jogo diante do Paysandu, em Belém.

?Eu sabia que iria voltar a jogar, mas temia não ter a mesma coordenação, a mesma habilidade. Eu pensava que uma perna ficaria maior que a outra?, afirmou o jogador, que contundiu-se no primeiro jogo das quartas-de-final do Campeonato Brasileiro de 2002, contra o Santos.

O lateral são-paulino ainda espera pela confirmação do técnico Oswaldo de Oliveira para comemorar de vez a volta aos gramados pelo Tricolor.

SEM MÁGOAS
O lateral Jorginho Paulista ainda tem bem vivo na memória o lance que causou a sua lesão e ele segue com a mesma opinião que expressou no momento da fratura: Robert foi imprudente.

"Não vejo maldade, mas foi imprudente. Foi um lance no meio-campo, o Santos estava ganhando por 3 a 1 e eu estava de costas. Não precisava fazer aquilo", analisa o lateral.

No lance, Jorginho sofreu um carrinho por trás de Robert. Mas, apesar de achar que a jogada poderia ter sido evitada, o lateral revela que não guarda mágoas do ex-jogador do Santos. Ele diz mais: os dois conversaram duas vezes por telefone.

"Não guardo mágoas dele. Já passou e agora estou curado. Nós conversamos duas vezes depois da jogada. Foi uma parte legal dele. O Robert me ligou para desejar ?feliz natal? e ?feliz ano-novo?", afirma Jorginho Paulista.

DORES
Jorginho Paulista revela que ainda sente um pouco de dor na hora do aquecimento, mas jura que ele acaba quando começa a jogar. Porém, o lateral já sabe que terá problemas no futuro.

"Os médicos já falaram que no inverno e na troca de lua eu posso sentir um pouco de dor", afirma o jogador.

O médico Marco Aurélio Cunha confirma as dores no inverno, mas afirma que não existe problema na troca da lua.

"Isso é mais folclore e é muito pessoal. Pode ser verdade ou não. No inverno, o fluxo sangüíneo diminui e a dor aumenta", diz o médico do Tricolor.

Lancepress!