2 eventos ao vivo

União Europeia aprova processo para normalizar relações com Cuba

Relações de cooperação da UE e Cuba estavam suspensas há mais de uma década

10 fev 2014
16h55
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A União Europeia aprovou nesta segunda-feira, 10, um processo de negociações para normalizar as relações com Cuba, suspensas há mais de dez anos. O objetivo é encorajar o país latino-americano a manter as reformas no âmbito da economia e dos direitos humanos. Reunidos em Bruxelas, na Bélgica, os ministros de Negócios Estrangeiros do bloco concordaram em iniciar negociações para garantir a conclusão de um acordo de diálogo político e cooperação com a ilha, dirigida pelo presidente Raúl Castro.

Ministros das Relações Exteriores da União Europeia conversam durante reunião de chanceleres da UE em Bruxelas, nesta segunda-feira, 10 fevereiro
Ministros das Relações Exteriores da União Europeia conversam durante reunião de chanceleres da UE em Bruxelas, nesta segunda-feira, 10 fevereiro
Foto: AP

Segundo o acordo, a Europa deverá ampliar os âmbitos de cooperação com a ilha, acompanhar as reformas socioeconômicas e fomentar o respeito aos direitos humanos, em um momento em que o bloco observa um certo movimento de liberalização no plano econômico e moderação no plano político.  A UE suspendeu a sua cooperação com a ilha em 2003, após uma onda de repressão à oposição que incluiu a condenação a pesadas penas de prisão de 75 dissidentes, libertados posteriormente.

Desde o início do diálogo entre as duas partes, em junho de 2008, já foram concluídos diversos acordos bilaterais entre Cuba e cerca de 15 Estados-Membros da UE. Atualmente, os países do bloco decidiram conservar uma posição comum, adotada em 1996, que condiciona as relações com Havana a avanços no campo dos direitos humanos. Essa orientação foi uma exigência dos países mais resistentes a mudanças nas relações com Cuba, em particular a Polônia e República Tcheca.

Veja também:

Bilby, o estranho animal com 'orelhas de coelho' que volta à natureza após quase desaparecer
Agência Brasil Agência Brasil
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade