0

Portugal desloca militares para ajudar no combate a incêndios

Portugal decidiu enviar militares nesta segunda-feira para combater os incêndios florestais, enquanto os bombeiros lutam para controlar as chamas que atingem o norte do país, deixando três pessoas feridas, informaram fontes oficiais.

9 ago 2010
19h44

LISBOA, 9 Ago 2010 (AFP) -Portugal decidiu enviar militares nesta segunda-feira para combater os incêndios florestais, enquanto os bombeiros lutam para controlar as chamas que atingem o norte do país, deixando três pessoas feridas, informaram fontes oficiais.

Em torno de 100 soldados foram enviados nesta segunda-feira para ajudar os 500 bombeiros que lutam contra os incêndios próximos a São Pedro do Sul, na região de Viseu, informou um porta-voz do exército.

Seis focos de incêndio "significantes" nas florestas eram registrados no norte do país, dois deles desde sexta-feira, informou a defesa civil.

Os militares foram chamados principalmente para evitar que os incêndios já controlados retomem.

O fogo em São Pedro do Sul, que começou na sexta-feira e deixou três pessoas feridas no sábado, deslocou 300 bombeiros, 80 veículos, três aviões lançadores de jatos d''água e dois helicópteros, informou a defesa civil em seu site.

A situação foi declarada "sob controle", de acordo com a emissora estatal RTP.

Outro foco de incêndio perto de Tabuaco, também na região de Viseu, mobilizou mais de 100 bombeiros, 30 veículos e dois helicópteros.

No nordeste de Portugal, 30 bombeiros e dois aviões foram deslocados para conter as chamas e evitar que elas atinjam o parque nacional de Peneda-Geres.

A defesa civil registrou 1.000 focos de incêndios durante o fim de semana, um recorde para o ano.

tsc/dn/lb

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade