1 evento ao vivo

Países árabes ajudarão financeiramente o Egito, se EUA e Europa suspenderem repasses

19 ago 2013
14h48
atualizado às 16h02

Os países árabes estão prontos para ajudar o Egito em meio ao agravamento da crise no país, após a morte de 750 pessoas em três dias de confrontos entre manifestantes e forças policiais. O chefe da diplomacia da Arábia Saudita, príncipe Saud Al Faisal, disse hoje (19) que os árabes estão dispostos a colaborar com os egípcios para compensar a suspensão da ajuda de países do ocidente.

A declaração do príncipe ocorre às vésperas da reunião dos chanceleres dos 28 países da União Europeia para analisar uma possível suspensão da ajuda financeira ao Egito, em resposta ao aumento da violência e da repressão no país.

Nos Estados Unidos, vários senadores, incluindo o ex-candidato presidencial do Partido Republicano John McCain, pediram ao governo a interrupção da assistência militar anual de US$ 1,3 bilhão ao Egito.

Al Faisal criticou as posições dos países ocidentais. O governo da Arábia Saudita anunciou ajuda ao Egito no valor de US$ 5 bilhões de dólares, depois da destituição do poder de Mohamed Mursi, em 3 de julho. Os governos do Kuwait e dos Emirados Árabes Unidos, vizinhos e aliados da Arábia Saudita, também anunciaram apoio ao Egito. Ambos pretende repassar de US$ 3 bilhões a US$ 4 bilhões.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa

Edição: Beto Coura

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito à Agência Brasil

Agência Brasil Agência Brasil
publicidade