0

Yasser Arafat teria sido envenenado com substância radioativa

3 jul 2012
14h55
atualizado às 17h13

O líder histórico palestino Yasser Arafat, falecido em 2004, teria sido envenenado com polônio, indicam conclusões das análises realizadas em laboratório na Suíça e citadas em matéria do canal Al-Jaazera.

Yasser Arafat, durante entrevista concedida em 2003, na Cisjordânia
Yasser Arafat, durante entrevista concedida em 2003, na Cisjordânia
Foto: AFP

As análises foram feitas com uma amostra biológica extraída dos pertences do dirigente palestinos e entregues a sua viúva, Suha, pelo hospital militar de Percy, sul de paris, onde Arafat faleceu, segundo François Bochud, diretor do Institute for Radiation Physics de Lausanne, na Suíça.

"A conclusão é que achamos um nível significativo de polônio nas amostras", acrescentou Bochud no documento, que precisou de nove meses para ser concluído, segundo a Al-Jazeera. O polônio é uma substância pouco comum e altamente radioativa. Ele teria sido utilizado para envenenar o ex-espião russo Alexander Litvinenko, que faleceu em Londres, em 2006.

Yasser Arafat adoeceu em seu quartel-general de Ramallah, na Cisjordânia, sitiado pelo Exército israelense, e faleceu em 11 de novembro de 2004, em Percy. Sua morte é um enigma. Os quase 50 médicos que se revezaram para cuidar do líder não indicaram a razão exata da deterioração de seu estado de saúde. Os palestinos acusaram Israel de tê-lo envenenado.

Para confirmar a tese de morte devido a uma intoxicação por polônio, seria preciso exumar os restos de Arafat e analisá-los, afirmou Bochud.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade