3 eventos ao vivo

Turquia: terremoto de 7,2 graus pode ter causado até mil mortes

23 out 2011
09h14
atualizado às 16h10
  • separator

Um tremor de terra atingiu a Turquia neste domingo. O terremoto ocorreu a 35 km da cidade de Van, no nordeste da Turquia próximo a fronteira com o Irã, a 94,5 km de profundidade. De acordo com o Centro Sismológico Kandilli da Universidade do Bósforo, em Istambul, o número de mortos pode ter chegado a mil.

O Centro Kandilli, o mais importante da Turquia, indiciou que o terremoto ocorrido às 8h41 (de Brasília) teve magnitude de 7,2 graus na escala Richter. Em comunicado, o escritório do primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan, admite desconhecer a real dimensão dos danos e o número de vítimas, devido às dificuldades das equipes de resgate de chegar aos povoados da região afetada pelo terremoto.

Várias casas desabaram depois do tremor na província de Van, informou a agência de notícias Anatolia, acrescentando que tremores secundários ainda estão ocorrendo. Segundo as TVs turcas, o aeroporto de Van também foi atingido, por isso os voos previstos para lá foram desviados para Erzurum, a 400 km. Devido à difícil geografia do terreno, o Crescente Vermelho está tendo dificuldades para chegar aos povoados mais afetados pelo terremoto.

O vice-primeiro-ministro turco, Besir Atataly, declarou que todas as instituições do Estado estão em estado de alerta e será estabelecido um centro de coordenação em Van, para o qual irá o chefe do Governo do país, Recep Tayyip Erdogan.

A magnitude do terremoto gerou divergências no início da manhã - horário de Brasília. O canal privado NTV disse ter sido 6,6 graus na escala Richter. Já a agência Reuters, citando a entidade de pesquisa geológica dos Estados Unidos, fala em 7,6 graus. A agência AFP, no entanto, afirma que a magnitude foi de 7,3 graus.

*Com informações de agências internacionais.

Terremoto pode ter matado de 500 a 1000 pessoas na Turquia
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade