PUBLICIDADE

Termina a primeira reunião entre a oposição e o governo da Síria

25 jan 2014 08h45
| atualizado às 11h04
ver comentários
Publicidade

A primeira reunião entre as delegações sírias do governo e da oposição terminou agora pouco após uma primeira sessão de cerca de meia hora, e será retomada ainda nesta tarde.

O chefe negociador da oposição, Hadi al Bahra, disse à Agência Efe na saída que o mediador internacional, Lakhdar Brahimi, foi o único que tomou a palavra e que em sua declaração se referiu à implementação do "Comunicado de Genebra", que estabelece a formação de um governo transitório no país.

"O senhor Brahimi disse pela enésima vez que esta conferência (de paz) é para a implementação do 'Comunicado de Genebra', que se refere ao estabelecimento de um órgão (de governo) com todos os poderes", declarou Bahra.

Às 16h locais (13h de Brasília), as delegações voltarão a se reunir na mesma sala, e dessa vez dialogarão entre si pela primeira vez, mas não diretamente, sempre através do mediador Brahimi.

Tomarão a palavra Bahra pela Coalizão Nacional Síria (CNFROS), que representa a oposição, e o chefe da equipe negociadora governamental, Bashar Jafari.

"Na segunda sessão haverá conversas sobre o cessar-fogo e outros aspectos humanitários, nas quais falarão os dois chefes das delegações", explicou posteriormente à imprensa Anas Abdeh, porta-voz da delegação opositora.

"Nos primeiros dias, talvez semanas, as conversas serão diretamente com Brahimi, ou seja, os chefes das delegações não falarão entre eles e, se alguém mais da delegação quiser falar, pedirá permissão ao chefe negociador e poderá dirigir-se a Brahimi", acrescentou.

GUERRA CIVIL EM FOTOS CONTEÚDO EXCLUSIVO
AFP AFP

Terra compilou alguns dos principais materiais fotográficos disponibilizados ao longo destes mais de dois anos de guerra na Síria. Cada imagem leva a uma galeria que conta um episódio específico ou remete a uma situação importante do conflito.

Acompanhe a cobertura exclusiva do Terraatravés dos jornalistas Tariq Saleh e Mauricio Morales. Sediado no Líbano, Saleh conversou com sírios, visitou refugiados e ouviu analistas. Enviado especial, Morales passou dias com rebeldes.

EFE   
Publicidade
Publicidade